The moment I wake up
Before I put on my make up
I say a little prayer for you...

A quarta-feira começou chuvosa, de céu branquinho e vento gelado. E eu acordei animada depois de uma boa noite de sono (gente quanto tempo eu não sabia o que eram 9 horas de sono tranquilo!) e um sonho bom! <3 Então, decidi um look basiquinho e fofo, até porque eu queria estrear um colar novo. Que quebrou no meio do dia, antes de eu fazer as fotos. E daí eu fiz uma gambiarra provisória pra mostrar ele aqui. E quase chorei de tristeza depois. É tão frustrante quando algo novinho quebra, vocês não acham? : /

Chemisier, Renner; Casaco, Pygu's; Meia-calça, Trifil; Botas, Corello; Colar, Customize
Fotos: Mademoiselle Paris

I run for the bus, love
While riding I think of us, love
And I say a little prayer for you!

Baby look at me
And tell me, what do you see?
You ain't seen the best of me yet
Give me time, I'll make you forget the rest!

Terça de chuva. Eu acordei cedo, já me preparando para a longa jornada em que se transformam meus caminhos sempre que São Pedro resolve dar o ar da graça. Pra completar, o frio está deliciosamente intenso. E apesar de não gostar de inverno úmido (cadê aquele vento de cortar corações de tão seco, Brasil?), me animei num casaco vermelho da Renner que é estilo capa de chuva. E que super funciona nesse tempo úmido e gelado. 
E como o casaco era a peça-chave de tudo, o resto foi basiquinho e neutro, pra não brigar com o vermelho e os detalhes e o amor desse casaco de chuva: combo legging + botas, camisa branca larguinha e tricot. : )

Casaco, Renner; Tricot, John John; Camisa, Marisa; Legging, C&A; Botas, Mooncity
Fotos: Erica Hans

I'm gonna live forever
I'm gonna learn how to fly, high!

Quando eu era menina, coisa de 6 ou 7 anos, uma das coisas que eu mais gostava era quando chovia. Eu saía correndo pelo quintal e corredores externos de casa, tomando chuva, cantarolando... eu realmente acreditava que podia me conectar com Deus através de cada gota que tocava meu rosto. E o mais delícia era depois dessa diversão toda, poder entrar e tomar um banho bem quentinho, colocar meus pijamas e tomar o mingau quentinho da minha mãe, vendo desenho na TV. Aí eu comecei a crescer e os compromissos da vida adulta me fizeram passar do amor ao ódio, no quesito chuva. Não, eu não odeio a chuva em si. Eu odeio todo o transtorno que ela me traz. Antes, em dias de chuva, meu pai me levava sequinha até a escola. E minha mãe garantia que eu ficasse quentinha depois de brincar. Hoje?

Fotos: WeHeartIt

Bem, hoje eu tenho que armar um esquema de guerra em dias de chuva. Um look que teoricamente me mantenha sequinha ao longo do dia. Tecidos que sequem com facilidade, em caso de chuvas de vento. Mas que me mantenham aquecida, pois eu tenho a maior facilidade em ficar gripada. E na correria dessa vida, ficar gripada só aumentaria o stress de saber que as coisas todas estão acumulando mais e mais. Salto alto? Nem pensar. Correr de salto na chuva com bolsa, note, lancheira e guarda-chuva é pedir pra levar aquele tombo. Aqueles, que Murphy adora. Saia depende mas, tem que ser de um tecido que não voe facilmente, pois você estará com as mãos ocupadas em segurar as suas coisas e manter o guarda-chuva erguido. Bolsa e pastas impermeáveis para proteger os objetos pessoais e de trabalho, para que nada chegue ensopado ao seu destino. Um café da manhã reforçado pra dar ânimo de sair de casa, mas não tão farto que te dê vontade de voltar a dormir quando acabar. Um creminho, uma tiara ou presilhas, para o caso do cabelo se rebelar. Um guarda-chuva gigante, pra não correr nenhum risco de me molhar. Ah! E botas. Molinhas, confortáveis e de preferência, de cano alto. Que é pra manter as pernas secas e aquecidas. Uma boa dose de paciência para enfrentar a muvuca, o trânsito e o mau humor. Meu e dos outros. Porque eu não conheço ninguém que more em São Paulo, que vá ao trabalho de condução e goste de dias chuvosos. Nesses dias, a chuva só atrapalha. E por mais que eu queira jogar tudo pro alto e sair sentindo suas gotas me tocarem em velocidades e com forças diversas, eu respiro fundo e tento manter alguma esperança de um dia voltar a apreciar os dias de chuva, tanto quanto aquela menina de seis anos apreciava. 

- Chuva, só peço que caia devagar...
Desde que comprei meu iPhone no comecinho do ano, e me atrevo a dizer que até desde um pouco antes, eu tinha uma listinha de aplicativos que amigos, namorado e sites que eu gosto recomendavam como essenciais para o dia-a-dia. E virei a maluquinha do app, que baixa um monte de coisa, testa e vai guardando aquilo que é bacana. Então hoje eu trouxe 5 aplicativos que já fazem parte do meu dia-a-dia e, que já não me vejo sem. : )

Sim, vamos começar a listinha com o TOP app utilidade pública feminina. Na correria, muitas vezes só não esqueço a cabeça por estar grudada ao corpo. Então esse app me ajuda MUITO a manter horários e não esquecer de nenhuma pílula. Fora que me ajuda a controlar o ciclo e manter um mínimo de cuidado e atenção que, eu assumo, não tinha antes. Acho que testei uns 3 aplicativos com o intuito de lembrar sobre a pílula e, esse foi o que mais curti. Clean, fofinho e fácil de usar, ainda é compatível com iPad e o iPod. Dá pra sincronizar e o alarme soar nos 3, para você não correr o risco de esquecer de jeito nenhum! ;) 


Heart Rate
Quem me apresentou esse app foi o namorado, bem antes até de eu sonhar ter um iPhone pra chamar de meu. E eu adorei a ideia de ir mantendo um diário de como anda meu coraçãozinho. E o melhor é que ele é absurdamente simples. Depois de configurado para gênero, idade e peso, basta posicionar seu indicador na luz que sairá da câmera. Ele vai medir e, depois, ainda pedir para que você marque qual seu estado naquele momento, como por exemplo, indo dormir. Eu viciei e faço a medição ao menos uma vez por dia! :P


Flipboard
Foi o primeiro que baixei e fiquei horas arrumando. O Flipboard agrega tudo que eu gosto de ler, em vários horários do dia. A forma mais linda de carregar jornais, revistas, portais e blogs que amo, junto comigo para qualquer lugar. <3


DailyCost
Há tempos eu buscava um aplicativo que me permitisse controlar gastos. Para poder organizar melhor minha vida financeira e também me planejar melhor pro futuro. Testei vários apps e já tinha até parado de procurar esse tema quando descobri o DailyCost. Ele é super simples e tem essa carinha de nota fiscal que eu achei fofa. Você desliza o dedo pra baixo e registra uma nova saída de dinheiro e diz pra que foi. No fim do mês dá pra exportar uma planilha por e-mail e conferir tudinho! Super prático!


99Táxis
Eu era bem descrente e bem medrosa de ficar pedindo táxi através de um aplicativo. Até que todos à minha volta começaram a comentar desse 99Táxis. E o que me atraiu demais: você seleciona a opção de pagamento e dá pra pagar com cartão! Mágico! Várias vezes deixei de sair ou fui de metrô por não ter tempo de ir sacar ou não ter um caixa eletrônico por perto. Isso foi um brilho em meus olhos que só quem já passou por isso, entende. 


Tem um aplicativo que você não vive sem? Conta pra mim! :)
Mary wants to be a superwoman
But is that really in her head....

E depois de uma semana forçadamente fora por culpa da sinusite, da gripe, da tpm e da correria insana, eu voltei. Ainda meio dodói mas, cheia de saudade de fotografar, de escrever e de trocar com vocês! : )
Ontem eu acordei um pouco melhor mas, com a tpm gritando eu só queria algo que não incomodasse minha "pancinha". Então logo de cara pensei no vestido mais molinho. O que veio foi esse listradinho que é solto e mega macio. E rodado. <3 Pra acinturar um pouco, cinto vermelho. Pra proteger do frio, cardigã azul marinho e por cima um casaco de veludo. Nos pés, sapatinho de boneca, pra ser uma lady com todo o conforto merecido!

Vestido, Extra; Cardigan, Renner; Cinto, Marisa; Casaco, Catwalk
Sapato, Beira Rio Conforto; Bolsa, presente de Dia dos Namorados (do melhor namorado :P)
Fotos: Mademoiselle Paris

Mary wants to be another movie star...

Em julho, mais precisamente no dia 11, a C&A lança sua coleção em parceria com Issa London, da estilista carioca Daniella Helayel. Essa será a terceira coleção internacional da marca, que tem conseguido lotar suas lojas com parcerias e coleções especiais. Nesta linha serão 57 itens, entre roupas e acessórios. Os preços variam entre R$39 e R$299. As referências são as cores frias e londrinas, além das linhas simples e elegantes. E tudo isso, com a sensualidade típica da brasileira.  

Fotos: Divulgação/Renata Massetti e Leandro Teixeira

- Releitura de clássicos
Nightfall covers me but, you know the plans I'm making
Still over sea could it be the whole world opening wide...

E a terça tinha tudo programadinho pra ser linda. E tranquila. E aí veio Murphy e me provou que quanto mais eu tento planejar, mais o acaso me surpreende. O que salvou o dia foi esse look preguiçoso e super conforto que escolhi logo cedo. Acrescente uma jaqueta pro fim do dia e muita correria contra o relógio. 

Vestido, Marisa; Botas, Anna Luz; Colar, C&A

Dance into the fire
That fatal kiss is all we need...

Sei que já está super em cima da data mas, eu como boa atrasilda, pensei em todos os detalhes com antecedência e deixei o presente pra correria da véspera. Então, zapeando a internet hoje, me deparei com essa graça de mini-coleção especial que a Schutz preparou para o Dia dos Namorados. O mais legal de tudo é que quando você entra no site, ele te convida a enviar uma "dica" para o boy, já com o modelito que gostaria de ganhar! Prático para quem tem namorado desligado, não acham? = P


- De volta à busca de presentes. Para ele! <3 (aceita-se sugestões!) 
I feared my hert would beat in secrecy
I face the nights alone
Oh how could I have known
That all my life I only needed you...

A melhor coisa do mundo é a gente conseguir desligar umas horinhas do mundo e curtir a nossa própria companhia. E depois, dedicar um tempo a ficar do lado de quem a gente ama. Isso tem um poder sobrenatural em mim. Me recarrega. Me devolve o eixo. E foi exatamente o que eu fiz. E deu tão certo que não apenas o bom humor está de volta como me desafiei a experimentar um território clássico fashion que eu bani da minha vida há uns bons anos: a calça jeans. 
Meu caso com a peça é coisa de filme e resumindo bem a história toda, fica mais ou menos assim: eu fui uma criança magrela que ao vir pra cidade grande engordou. E depois, ao chegar na adolescência, emagreci e acabei mantendo um padrão de peso até hoje. O problema nessa linha do tempo: quando eu era criança, as crianças da minha escola usavam calça jeans. E apesar de nenhuma delas ficar boa para meu corpo da época, eu insistia em usar as benditas. E de cintura baixa, para o horror da minha mãe. Quando emgareci, usei e abusei dos mais variados estilos até perceber que eu só estava usando aquilo para provar pra todo mundo que, agora eu podia. Então deixei de lado. 
No último feriado, fiz uma limpa no meu closet para separar roupas em bom estado que eu doaria nesse inverno. E para meu espanto, encontrei 10 modelos de jeans, esquecidos. Experimentei, me olhei. Doei. Mas, algo dentro de mim ficou triste. E seu QUISER usar uma calça jeans básica? Foi nesse momento que eu peguei o telefone e convidei meu (super básico e ótimo comprador) namorado a me ajudar na caça pela calça jeans perfeita. E eu descrevi: 
Ela tem que ser básica, quem sabe assim eu use mais com várias peças. Não quero muito escura, nem muito clara. Tem que ter um pouco de elastano. Me incomoda demais o fato de o coz das calças jeans machucarem o abdomen se eu quiser sentar com as pernas cruzadas. Não pode ser muito apertada porque eu não acho nada bonito (em mim!) o jeans que parece uma segunda pele. E também porque não faz meu tipo se jogar na cama pra poder fechar um zíper. Ah! Quero que alongue minhas pernas e dê um delineado no andar. Não que pese quando eu ando. Acho que é isso amor. Me ajuda? 
Eu tenho a sorte de ter um namorado que conhece meu gosto, que é 100% sincero em todas as opiniões que dá e que sabe diferenciar investimento de gasto compulsivo. E lá fomos nós, na loja que ele escolheu e que me fez rever alguns conceitos de caro/barato/qualidade/quantidade.
Devo ter provado, sem nenhum tipo de drama aumentativo, uns 50 modelos diferentes. E entre as opiniões de dois vendedores e a dele, eu ia fazendo anotações mentais.... "essa é muito larga", "não caiu bem", "cadê minha bunda nesse monte de pano?", "essa não entra nem no tornozelo!" !!!
Depois de um dia inteiro dedicado, encontrei essa coisa linda. Vestiu bem, o tamanho estava tão exato que parecia ter sido feita nas minhas medidas. E o melhor: já consegui pensar em algumas combinações com outras peças do meu armário. Coisa que antes, eu sequer imaginava com uma calça jeans. 
Mas, pra começar e estrear a peça, eu decidi ir no básico. No clássico. Que com acessórios certos, ficaria chique sem perder minha essência. E acho que fui bem-sucedida na tentativa! :)

Camisa, Marisa; Jeans, Ellus Originals; Tricot, John John; Scarpin, Isabella Giobbi; Colar, Customize
Fotos: Mademoiselle Paris 

Os dias em São Paulo tem nos proporcionado vivenciar todas as estações do ano, em um período de 24 horas. Por isso, escolhi uma camisa de manga longa que pode ser fresca e também pode ajudar a aquecer. Pra sair de casa cedinho, escolhi um suéter larguinho que além de esquentar tem esses detalhes em spikes que eu amo. Pra não deixar o look básico e preguiçoso demais, um scarpin preto que muda qualquer produção! : )
E como diria a querida Ana (do Hoje Vou Assim OFF), dedão pra cima ou pra baixo? 

Almost paradise
We're looking on heaven's door
Almost paradise
How could we ask for more?
I swear that I could see forever in your eyes
Paradise...

De todos os loucos do mundo eu quis você
Porque eu tava cansada de ser louca assim sozinha...

Quinta-feira, quarto dia de mau humor por conta das dores e total não-vontade de ficar pensando em roupas. Aí, sem nenhum filtro, abri o guarda-roupas com os olhos fechados e puxei. E vesti. E saí. Assim, sem paciência, sem saco. Porque tem dias que a gente cansa de tudo e só quer dar conta das coisas dentro do mínimo da sanidade mental. 
O fato: passei 90% odiando não ter me olhado no espelho antes de sair de casa. Não tinha curtido esse visual em nada, até que os amigos me levaram para dar uma volta, arejar as ideias e fazer as fotos do dia e, nessas de dar 5 minutos pra cabeça esfriar me arrancaram umas risadas e me deram de presente uma certa leveza. E fotos que eu amei! Nada como uma volta ao ar livre e um chá para dar uma acalmada e colocar a cabeça novamente no eixo. 

Vestido: Brechó Tôco de Sol; Cinto, Acervo; Meia, Lupo; Sapatilha, Moleca; Tricot, Feira das Malhas
Fotos: Erica Hans

A gente faz um dueto fora do tom... <3

Late at night when all the world is sleeping 
I stay up and think of you and I
Wish on a star, that somewhere you're thinking about me too...

E a minha mãe sempre disse que quando algo começa errado, não adianta. Vai continuar daquela forma a não ser que você dê um ponto final e recomece a escrever as coisas num novo parágrafo. Pois é. A minha semana tá pedindo novas frases. Quiçá, novas páginas. Mas, mesmo com todos os perrengues, consegui despertar com um ligeiro sorriso, de uma lembrança de sonho bom que acho que tive. E coloquei uma musiquinha relaxante e fui cuidar de me arrumar. O sol nem sonhava em aparecer, a previsão era de 10ºC. Então, decidi que era dia de tirar meu casaco mais xodó e mais amado (e mais recente ahahaha) do armário e levá-lo pra passear. Das mil roupas que eu imaginei com ele, nenhuma era funcional para a agenda do dia, então eu adaptei: um suéter fininho e preto, fez as vezes de blusa. Saia de cintura alta com bolsos, deu um arzinho meigo para o look. Coloquei uma meia cor da pele para proteger as pernas sem tirar o foco do casaco. completei com um oxford de salto e esse colar lindinho que comprei em um standzinho, num dos últimos passeios que fiz com a minha mãe ali pela região da Paulista.
E as fotos foram feitas a noite, porque ontem o dia bateu o recorde de correria no ano e quase que nem dá tempo de fotografar! #corramillacorra

Suéter, TVZ; Saia e Casaco, Marisa; Oxford, Cravo & Canela, Colar, Customize
Fotos: Ana Santo

'cause I'm dreaming of you tonight
'till tomorrow I'll be holding you tight
And there's nowhere in the world I'd rather be
Then here in my room, dreaming about you and me...

Me esqueci, Jesus!
De anotar os recados
Todas janelas abertas
Onde eu guardei a fé?
Em nós....


Sabem esses dias em que você desmaia, não dorme. Corre, não anda. Sobrevive, não vive? Pois a terça-feira foi desse tipinho. Depois de 4 horas de sono e ainda cheia dos efeitos colaterais dos remédios, me enchi de coragem e tentei não ir parecendo a Vandinha da Família Adams (apesar de achar que falhei nessa última missão) depois da tormenta! As escolhas foram todas pensando no quanto eu queria cama e um pouco de acalento pra que esse mal-estar (físico e psicológico) me incomodasse o mínimo possível. Então, comecei optando por uma legging de algodão quentinha. Com ela, um mini-vestido, um cardigan levinho. O detalhe de ser tudo preto tem um pouco a ver com o humor mas, vou até dizer que foi pra emagrecer, se perguntarem. [risos]
Pra esquentar de vez, escolhi esse casaco que ganhei da minha tia faz um tempão. E eu adooooro esse jeito enorme dele de poncho/cobertor. Ele é todo molinho, com bolsos fundos e golinha fofa. Enfim, nada sexy mas, muito amor! Pra proteger a garganta, um cachecol que a minha mãe me fez (acho que no último ano) e que tem essa vida toda rosa, que era exatamente pra tentar quebrar um pouco da vibe escura e fechada do restante. Nos pés? Nem quis pensar! Ó a botinha aqui de novo! : P

Vestido, Versatti; Legging, C&A; Cardigan, TNG; Casaco, Pygu's; Cachecol, Arte da Mama; Botas, Anna Luz
Fotos: Mademoiselle Paris

Meu café em pó solúvel
Minha fé, deu nó...

Sabe o que eu queria agora, meu bem?
Sair, chegar lá fora e encontrar alguém
Que não me dissesse nada e não me perguntasse nada também...

Tem dias que parece que, por mais que você insista em ser otimista, as coisas estão indo no sentido oposto. E eu, que tanto esperei pela segunda-feira e pelo fim do meu período de molho forçado pós-cirurgia, tive que aguentar mais um dia de cão, fora do aconchego da minha casa. O que, em alguns casos, pode ser ainda mais assustador. E nesse, foi.
O dia estava cinzento, pouco convidativo. Prometia chover e ventava muito. Decidi começar a montar o look debaixo pra cima e escolhi essa botinha de cano baixo da Anna Luz que comprei recentemente. Ela é tão absurdamente confortável que por horas fico imaginando estar em casa, andando de pantufas no meu tapete. Com certeza das melhores compras que fiz no último mês. E com certeza será uma peça que vai bater cartão por aqui e vocês vão enjoar dela junto comigo. Ou não. : P
Depois de escolhido o calçado, resolvi por uma meia-calça fio 180. Uma quase calça. Com vestido (alguns dizem que é camisola, eu uso de vestido! Rá!) molinho e de mangas longas da Malwee. Pra encerrar, esse casaco verde seria ideal. Se chove e ele molha, seca fácil e não me deixa ficar tremendo de frio. Uso geralmente aberto, pois gosto de movimento nos braços e coisa e tal. Mas, o cintinho tá ali, caso o tempo feche e eu precise de um calor extra no peito.
Pra arrematar, um plus que não apareceu nas fotos mas, que fez toda a diferença no meu fim de dia: um cachecol preto, daqueles que dá pra dar umas várias voltas no pescoço. Como saí mega tarde do trabalho, foi essencial para não congelar e proteger minha garganta do tempo congelante. Uma boa pedida pra quem, como eu, nem sempre tem hora pra sair dos lugares... [risos]

Vestido, Malwee Liberta; Casaco, Marisa; Meia-calça, Trifil; Botas, Anna Luz; Colar, Juv & You
Fotos: Mademoiselle Paris

Sabe o que eu mais quero agora, meu amor?
Morar no interior do meu interior....

Nas últimas vezes que me entreguei à preguiça e à comodidade de fazer as unhas, infelizmente, a experiência não foi muito boa. E não, não foi a manicure, não foi o tempo e nem a mudança de rotina pois os dois salões que frequento continuam sendo ok. O que me deixou muito, muito triste, foi perceber que os esmaltes não vem sendo trocados. Sabe, esmalte velho, que sai rápido, esfarela, faz bolha... pois então! A maior decepção de alguém que já não acha nada barato cuidar das unhas em São Paulo, é fazer as unhas e no mesmo dia, estragá-las. E como isso foi exatamente o que aconteceu, dessa vez optei por aproveitar o feriado e reviver a época em que eu cuidava calmamente das minhas unhas, hidratando e esmaltando com minhas coisinhas e meus esmaltes bem cuidadinhos.
Só que eu estava naquela vibe toda especial de molho em casa, por conta do tempo frio e dos cuidados com meu pós-operatório. Então eu não inventei muito e fui no clássico que há séculos eu não encarava: o renda, da Risqué!

Pra não dizer que não tinha nada além de um Rendinha, um toque leve de brilho com o Renda Paetê. 
Unhas de menininha!
Foto: Mademoiselle Paris

- Salões: atenção à qualidade (e validade) dos esmaltes, por favor!
Pra enfrentar a rotina, os problemas, os fantasmas... nada melhor que uma boa música. E eu que andei recebendo ordens expressas do médico para controlar melhor meus nervos, comecei exatamente por aí: musiquinha tranquila, pra começar e encerrar os dias com a cabeça um pouco mais zen. Foi aí que lembrei desse aplicativo esquecido em uma das telas do meu iPhone. Quem me passou a dica foi o Edu e eu já tinha usado e coisa e tal mas, a correria me fazia ter aflição de toda aquela música "de dormir". Foi quando explorei de verdade o aplicativo e comecei a descobrir várias estações, cada uma para um momento relax diferente... Bem-vindo, ao paraíso!

Fotos: Mademoiselle Paris

Quando eu baixei, o app estava grátis: para buscar é só ir por Calm Radio na iTunes Store.
Ele também possuí uma plataforma na web, onde você pode se tornar assinante do canal e ter acesso à uma infinidade de músicas, através do seu login, no note ou de forma mobile. Term assinaturas de vários preços mas, eu confesso que a versão não-paga do celular já me é muito grata. Minha mania da última semana é acordar com pianos, ouvir a estação de "healing" pós-almoço e terminar meu dia com "sleep" ou "OM". E pra quem se deixa aberto a experimentar novas formas de encarar as coisas, vai valer bem a pena a tentativa! Pois foi só quando eu me permiti curtir essa vibe, que ela começou a me ajudar de verdade. E até o médico e a massagista já perceberam que eu tive alguma melhora no meu quadro "nervoso" ! : )

- Pra ajudar nos sonhos bons....