Aquele em que comecei a cuidar da pele... e gostei!

0 Comments
Foto: Uol Mulher

Tem gente que abençoadamente aprende a cuidar extremamente bem da pele desde cedo. Bom, esse definitivamente não foi meu caso. Minha mãe apesar de muito vaidosa, sempre foi muito simples. Então não me lembro de uma penteadeira repleta de cremes anti-idade e nem tratamentos faciais. 
A maior lição de vida com relação à pele que minha mãe me transmitiu foi: não tem nada de errado, de feio ou de ruim em envelhecer. Claro, é sempre melhor cuidar pra envelhecer bem. Mas, acima de de tudo, envelhecer é belo. Único. E que, principalmente, todos nós passaremos por isso algum dia. Então, ao invés de lutar contra o inevitável, por que não pensar em como deixar a experiência mais prazerosa?  Outro ponto: acho que não tem nada mais angustiante do que a luta contra a idade. Então, foi assim que cresci vendo o mundo. Conhecendo um ou dois cremes da minha mãe, o sol escaldante do interior e.... bem, só. Até que, bem, a maquiagem não assentava mais tão bem. Até que, bem, a textura não era a mesma. Até que, bem, apareceram umas linhas finas de expressão que não estavam ali! >.< Foi quando comecei a ler e pesquisar como as meninas cuidavam de suas peles, principalmente a do rosto. E me deparei com um mundo de produtos, tecnologias, necessidades e especificidades que eu nunca imaginei serem possíveis.
Como boa curiosa, comecei a estudar e experimentar uma coisinha aqui, outra acolá. E de repente, eu não mais saía do banho, colocava o pijama e dormia. Eu passei a ter uma nova 'rotina'. Dormir fora começou a ser um pesadelo pois, imagine carregar aquele tanto de coisa. Sim, a medida que fui pegando gosto pela sensação de maciez, renovação e leveza que aquela rotina me dava, fui acrescentando etapas. Comecei timidamente com hidratação. Depois dividi a hidratação pelas partes do rosto e suas necessidades, o que já triplicou meus potinhos. E quando implementei os cuidados e prevenções então, perdi as contas!  Mas, percebi que o hábito vicia. O hábito de se cuidar, é cultivado. E pode ser começando aos poucos, como eu fiz. Ou com tudo de uma vez só como algumas amigas fizeram e também deu certo. O que importa, e disso hoje eu real/oficial virei defensora, é que você tire esse tempo à noite e pela manhã para se cuidar. Faz uma diferença surreal ao longo do tempo. E te proporciona um momento de 100% amor-próprio, em meio à correria tresloucada da vida atual.

(... continua)


Leia também

Nenhum comentário: