Visitando o Museu Rodin

0 Comments
Quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Carina, a alemã super simpática que estuda francês comigo me chamou para irmos ao Museu Rodin aqui em Paris. Foi quando me toquei que já andei a cidade inteira contemplando ruas, rio, lojas e monumentos mas, ainda não fiz realmente aqueles passeios turísticos que tanto planejamos na primeira vez na cidade. Acho que agora sim posso dizer que me sinto morando aqui. [risos] Eu explico: apesar de querer muito correr em todos meus pontos preferidos da cidade logo na primeira semana que tinha chegado por aqui, segurei a emoção. Dizia para mim mesma: não é uma simples viagem de férias, você tem tempo, use-o com calma, Camilla! Afinal, ter tempo é tudo na vida né?
Enfim, posso dizer que andei muito e vi Paris de vários ângulos nas últimas 3 semanas. Coisas lindas que provavelmente um turista com poucos dias na cidade não consegue apreciar diante da correria dos city-tours da vida. Porém, agora, com a minha rotina bem estabelecida, o sono em dia e o fuso também, comecei a saga de visitar e conhecer os lugares que eu tanto desejava, a fundo. E aceitei o convite da Carina, pra ir ao Museu Rodin, "abrir os trabalhos". 


O Museu fica no 7º arrondissement ( que é como são chamados os "bairros" de Paris. São 20, no total.) na área de Invalides. Seu prédio é o antigo e conhecido Hôtel Biron e é mais do que charmoso. 
Para visitar existem várias formas e valores, vou deixar esses dados todos listados lá no fim do post, ok? ;) Ele foi inaugurado em 1919 e possui o maior acervo do mundo quando se trata de Rodin. Pelo que me informei são mais de 300 obras doadas ao Estado Francês. É bastante coisa né? 
Começamos nossa visita pela sala especial que está montada na entrada do museu, ainda fora do Hotel e antes do magnífico jardim.  


Depois de sair desse especial, aproveitamos que a tarde estava lindíssima para conhecer o jardim do museu, que é simplesmente espetacular e merece ter um tempo dedicado só para ele. Entre um canteiro e outro, mais obras clássicas de Rodin. 


No museu, propriamente dito, não sei com o que me encantei mais: se foram as obras, a arquitetura ou a vista sensacional das janelas da mansão (para mim, aquilo é uma super mansão de época - já imaginei altos filmes quando estava lá dentro). 

Jeune Femme Au Chapeau Fleuri - Auguste Rodin (1870 - 1875)
Da esquerda para direita:
- Jeune Femme Aux Deux Roses - Auguste Rodin (1870 - 1880)
- Jeune Femme Aux Fleurs Dans Les Cheveux - Auguste Rodin (1870 - 1875)
- Diane - Auguste Rodin (1875 - 1879)

O lugar é tão mágico que não resisti à um "look no museu" [ hehehe ] .... 


Aqui vale lembrar que o museu tem chapelaria inclusa no valor do ingresso - o que é ótimo pra ver tudo com calma, sem precisar carregar casaco e afins. Essas botas guerreiras estão conhecendo muito de Paris comigo. O mesmo serve para esse vestidinho que, é regata mas foi uma das melhores coisas que eu trouxe na mala por seu caráter curinga de transformação. Já usei com blusa térmica e já usei até sozinho, só com o casaco por cima. Depende sempre do clima do dia. ;)


Depois que passeamos por todo o museu, me peguei pensando: mas e a Porta do Inferno
Foi quando nós nos tocamos que "passamos" por ela sem querer, enquanto conversávamos e caminhávamos no jardim.... : P



Foi uma tarde deliciosa. Info importante: não precisa tirar o dia para visitar o Museu Rodin. Dá pra ver tudo com calma em 3 horinhas. Ou seja, minha dica é incluir locais próximos no roteiro do mesmo dia, como: Museu de Armas, Torre Eiffel e almoço nos arredores do campo de marte. <3 

Museu Rodin
79, Rue de Varenne | 75007 | Paris
Ingresso (tarifa inteira) - €11,30


Leia também

Nenhum comentário: