Eu sei, eu sei.. você vai dizer, leitor, que demorou um tempão pra eu finalmente criar vergonha na cara e compartilhar esse post aqui. Eu sei. Mas eu mesma não sabia essa resposta até um ano atrás. Então, dá pra me dar um desconto, né? Agora eu sei. Agora eu tenho certeza do que dizer pra você, com base nas minhas experiências. E isso, acho que é o que você busca quando entra aqui - tô certa? :)

O que levar na mala para Paris no outono?



Paris no outono é uma visão de tão linda. E confesso que uma lágrima teimosa rola pelo rosto quando penso nas folhas ficando douradas e caindo no chão com o chacoalhar do vento nas árvores. Pareço estar descrevendo uma cena de filme mas, apenas estou lembrando de minha primeira tarde sentada no Sena vendo, exatamente, essa cena. Com a Torre ao fundo, e o rio também. Lógico. 
Falando de clima, não achei friiiiio como me fizeram crer que seria. De fato, o clima é friozinho. Imagine nosso inverno (nosso = São Paulo é a minha referência tá?). Bem, a média durante o dia fica entre 10 e 15 graus. E à noite cai para uns 6 ou 7 graus. Mas, como tudo na vida é relativo e Paris é uma cidade instável vou te dizer que basicamente você precisa se atentar a três fatores, no outono: vento, chuva e sol. 
Se ventar, a sensação térmica faz parecer muito mais frio que o real. Se chover, também. Se chover e ventar ao mesmo tempo você vai achar que já é inverno. Mas, se acalme: na maioria dos dias de outono, faz muito sol e venta/chove pouco. Então fica aquele clima delicioso e agradável para andar longas horas pela cidade. 

Sendo prática mesmo, o 'real feel' de outono em Paris se dá por dois meses no ano: setembro e outubro. Então deixar pra arrumar a mala pouco antes do seu embarque será uma opção sábia pois aí tem como ir acompanhando a meteorologia nos sites. Aconselho também a incluir Paris em seu aplicativo de clima no celular. Facilita MUITO a vida e eles geralmente acertam bastante as previsões e são uma grande ajuda na hora de se vestir. 

Vou deixar aqui a previsão de Outubro/2017 e também um gráfico com a média de temperatura segundo os meses do ano. Acho que vale a pena pra dar uma ideia geral pra quem nunca foi. Me ajudou muito na primeira vez. :)


Como vocês podem perceber, outubro não é um mês com temperaturas difíceis de lidar. Então, sem mais delongas, vamos à mala! :) Com as peças que escolhi abaixo dá pra ficar até 10 dias tranquilamente, sem ter que apelar pra lavanderia. Mas mesmo quem for para ficar mais tempo que isso, já consegue ter uma boa ideia do que é necessário para um turista se divertir em Paris no outono, sem passar frio nem calor!



Um erro grave que cometi na primeira vez que fui para Paris foi não levar na mala nenhuma camiseta de manga curta. Super erro! Todos os lugares que eu entrava tinham calefação e eu sinto muito calor pois sou do tipo de turista que ama caminhar de um ponto a outro. Então eu geralmente estava com o corpo quente e entrava em um lugar também quente. Queria morrer e antes que isso acontecesse corri numa loja comprar camisetas. Foco na calefação e não se deixem cegar pelo medo do frio.
A saia e os vestidos entram no mesmo alerta. Não adianta levar apenas calça com medo do frio. No outono (e falando por mim, até no inverno) você consegue sim usar meia-calça e saia/vestido.
Pensar em peças que conversem entre si cria uma gama gigante de opções com poucos itens na mala. Por exemplo, dá pra criar muito mais que 15 looks com as peças que selecionei na imagem aqui de cima. Vai de criatividade e disposição de pensar um pouquinho na hora de separar as coisas para a mala. Outro truque maravilhoso pra não perder tempo nas férias é já viajar com os looks fotografados no seu celular. Assim, agiliza o processo na hora de se vestir de manhã e você garante que estará sempre linda e aproveitando ao máximo seu tempo na cidade.
Ter um tênis confortável é de lei mas, uma bota básica e com um saltinho vai salvar sua vida se rolar aquela baladinha à noite. E de quebra, esquenta mais o pé que o tênis. ;) Ainda sobre calçados, muitos me disseram que era besteira levar sapatilha - discordo! Uma sapatilha básica também vai salvar seus looks para compromissos / programas mais arrumadinhos que você queira sair do look 'andanças'.

Eu alimento uma pastinha lá no Pinterest da Mademoiselle com inspirações de looks para cada estação do ano em Paris. E aqui, vocês conferem a de Outono: 


Para finalizar, acho que o segredo maior que posso compartilhar aqui é: pense em camadas e preste atenção às extremidades do corpo. Pés, mãos e pescoço estando bem aquecidos e protegidos, garantem um conforto inigualável. Se puder, inclua uma palmilha térmica na mala. Mantém os pés quentinhos e te ajuda a usar roupas mais leves, evitando suar. Suar no outono é perigoso pois o sol ainda esquenta e o vento é gelado. Ou seja: prato cheio pra ficar doente. E não é bem esse o propósito da sua viagem né leitor? ;)


Por último: leve roupas especiais. Estar de férias é o nível máximo de ter dias especiais todos os dias. Você merece suas peças mais amadas e únicas. Traga uma bolsa leve dessas de usar transpassadas no corpo para caminhadas e uma mochilinha/bolsa saco se precisar andar com mais coisas.
E lembre-se de reservar um espaço para compras. Paris tem inúmeras opções maravilhosas de consumo fashion por preços de cair o queixo. Você vai acabar levando algo para casa. Trust me!

- À bientôt, leitor! 

Há mais ou menos 8 meses eu vinha tendo dificuldade com cores. Eu tinha entrado num período #allblack forte e simplesmente não via mais a mesma graça nos vestidos e saias coloridos no meu armário. Depois de desistir de forçar a presença de cores no meu dia a dia e aceitar o momento, vivi um caso de amor com cada peça de roupa preta que eu tinha. Acreditem, cada peça. Real, oficial. Não consigo saber racionalmente quando esse período acabou mas, olhando minha timeline no instagram hoje eu percebi as cores e sorri: fiz as pazes com minhas roupas antigas! <3 


Eu também percebi que venho revivendo meu amor com saltos. O que me deixa radiante pois sempre tive verdadeira paixão por eles e me deprimia olhar a sapateira e vê-los constantemente 'esquecidos'. 
Mais uma vez, minha análise sobre os acontecimentos aponta para algo que eu já sabia: euzinha, querido leitor, eu me visto com alma e com coração. E cada look presente nesse blog e no instagram (me segue lá também, é @mademoiselleparis) representa isso. Representa uma fase, um sentimento, um pouquinho do sentimento que estava dentro e transparece nas escolhas e combinações que faço por fora. Vocês também se sentem assim com relação às roupas e acessórios que escolhem dia após dia? Já pensaram sobre isso? 


No fim, estou feliz. Esse tipo de histórico é bem o tipo de memórias que quero ter na velhice. Olhar uma roupa e lembrar das aventuras que tive com ela. Recordar um sapato que estava nos passos de uma nova jornada. Essas coisas me fascinam na moda e me fazem descobrir ainda mais sobre mim, meus desejos e sonhos. E sobre a história que quero contar. 

E vocês? Qual a cor do capítulo que estão escrevendo agora? A minha, com certeza, é o vermelho. 

Na última semana tive o prazer e a oportunidade de estar na estreia do musical "O Castelo Rá-Tim-Bum" no Teatro Opus, aqui em São Paulo. Sou da geração que cresceu com o clássico da TV Cultura e suas aventuras então fiquei bem mais que feliz de estar ali, prestigiando esse momento e revivendo essa parte feliz da infância. Em cena, Nino, Doutor Victor, Tia Morgana e vários outros personagens icônicos (principalmente se você tem seus quase 30 e poucos) farão você sonhar. A história não tenta ser mais um capítulo do que era a série na TV e traz uma história com começo, meio e fim sobre o aniversário de 300 anos do Nino.

Aliás, peço licença para falar um pouco do Nino. Roberto Rocha, ator dos mais incríveis que já tive a honra de conhecer nesses caminhos da vida. Há tempos não o via em cena. Bota tempos nisso. Pelo que sei, estava focado em dublagens e outros trabalhos na área artística. Sentia muita falta. Como sentia. Tem gente que por mais que tenha outros tantos dons, vinga melhor e mais forte ali, no solo do palco. Beto (já me sentindo íntima), é desses. Um papel delicioso e cheio de riscos, já que prevejo uma plateia quase sempre recheada de pessoas que tem cada movimento e detalhe da turma do Castelo na cabeça. Beto trouxe o menino sonhador, inocente e ansioso que é o Nino. E em momento nenhum conflita com nossas memórias. Acrescenta. Ajuda a criar novas.

Preciso também falar das crianças: Biba, Pedro e Zequinha. Quanto amor!
Na plateia, próximo à mim, Luciano Amaral - o Pedro da TV. Em alguns momentos da peça, confesso que ficava observando sua reação. E o brilho no olhar dele não me dizia outra coisa que não "poxa, que demais ver essa história ainda viva". A escolha do elenco para cuidar desses personagens foi, assim como no caso do Nino, hiper acertada. Aliás, acho que posso dizer isso sobre todo o elenco - que está integrado e enraizado em cada detalhe para fazer com que a experiência de crianças e adultos seja única. Mas, voltando às crianças: confesso que minha miopia não me permitiu ver qual das duas intérpretes fazia a Biba no dia da estreia. Tampouco reconheci, o Zequinha. Explico: esses papeis contam com mais de um interprete e pasmem: muito parecidos entre si, ainda mais após a caracterização feita. De qualquer modo, queria deixar aqui meus suspiros e aplausos para eles. Em especial para o menino que brilhantemente revive o Zequinha. <3

O espetáculo fica em cartaz até 19/11/2017 no Teatro Opus, com sessões aos sábados e domingos às 11 e 16 horas. Os ingressos variam entre R$25 e R$120 e como você já deve ter notado, eu acho que vale muito a pena você, leitor querido, ir lá conferir. ;)


SalvarSalvar
Dos vídeos recentes lá do canal, o que aparentemente vocês mais gostaram foi o que trazia opções de make e perfumes, cor de rosa. Então resolvi falar por aqui agora dessa febre, chamada rosa millenial. Se você não estava dando uma volta por Marte nos últimos meses, você deve ter notado que o cor de roda reinou e ainda está reinando em quase tudo: de roupas à decoração.

Chamado de Millennial Pink, esta cor é semelhante ao Rose Quartz, que foi eleito pela Pantone em 2016. E, apesar de não ter sido escolhida neste ano, a nuance está cada vez mais em alta, além de ser adorada pelos fashionistas.

Então quando recebi essa seleção de produtos em tons de rosa como sugestão de pauta no meu e-mail, na hora achei uma ótima vir compartilhar com vocês. Até porque não sei se com vocês está assim também mas, estou rodeada de rosa e só notei, agora! [risos]


1- Ideal Body Loção Sérum (R$79,90)
Esse hidratante ganhou meu coração pois além de ter um toque delicioso e fácil absorção ele combate os três sinais de envelhecimento da pele do corpo: ressecamento, irregularidade no tom e perda da elasticidade.

2 - Blush HD 210 - Cool Pink (R$145,00)
Tom maravilhoso de rosa agora pra primavera / verão - está na wishlist!

3 - Brilho para os lábios NouriShine Plus (R$39,90)
Eu voltei a amar batons com pegada gloss esses últimos tempos, se for rosinha natural então.. <3

4 - Get Off Velvet Matte Lip Pencil (R$136,00)
Outra descoberta do ano foram os batons em lápis da Nars - acreditem, eu nunca tinha testado! Estou apaixonada pela cobertura e praticidade deles - só acho uma pena serem tão caros, né?

5 - Luna 2 (R$999,00)
Há algum tempo que estou fissurada em limpeza facial e esse aparelho promete remover 99,5% da sujeira e do óleo da pele. O lance é: mil dinheiros por ele? Nem meu consumismo conseguiu justificar essa compra até agora. [risos]

6 - Body Lotion Lait de Parfum Nutritif (R$299,00)
Que eu amo a fragrância La Vie Est Belle eu acho que vocês já estão cansados de saber né? E o tanto que eu fiquei feliz quando soube que Lancôme aumentou a família lançando o hidratante? Estou enlouquecida - real/oficial!


- Nunca pensei que fosse pirar tanto em tantos tons de cor-de-rosa...
No finzinho do mês de julho o pessoal da Nescafé me convidou para conhecer o Museu do Café, em Santos, e aproveitar para degustar sua mais recente novidade: o Nescafé Espresso <3


A Nescafé tem aquelas máquinas maravilhosas de café que salvam a nossa vida em N situações e que eu amo tanto por estar presente desde padarias até bancas de jornal, lojas de conveniências e afins. O que significa que dá pra tomar Nescafé em uma quantidade imensa de ocasiões. E eu que tenho vontade de café 24h por dia, consumo pouco dessas máquinas viu - só que ao contrário. ;) 
Então, dentro desse contextozinho maravilha, vocês podem imaginar o quão feliz eu fiquei quando soube da novidade da Nescafé em agora ter a versão 'espresso' também. E o mais legal é que o grão é torrado no momento do preparo. ;)


A novidade foi comunicada num evento delicioso no Museu do Café que fica em Santos, litoral paulista. E eu amei demais a oportunidade de conhecer mais esse ponto turístico lindíssimo (e que fica tão pertinho - vergonha minha nunca ter ido!). 


Durante o evento o artista Tito Ferrara desenhou os convidados com café, coisa mais linda! 

Dá o play no vlog desse dia para conferir mais detalhes:


O lançamento de Nescafé Espresso representa para a Nestlé a conquista de um segmento no qual a cia ainda não trabalhava, aqui no Brasil: o de grãos torrados. O expresso é preparado na máquina 'Alegria' que conta com a função de moagem instantânea - que faz uma baita diferença na qualidade final do café que a gente degusta. Ah! E vale dizer que o Nescafé Espresso tem intensidade de torra média - pra galera que não é muito chegada em café forte. [risos]

Eis a Nestlé, amigos, prestes a dominar o mundo! :P Obrigada equipe Nestlé pelo convite, degustação, histórias e experiência. Foi um prazer estar com vocês!

P.s.: flagra do fotógrafo da Nestlé - eu faço sempre bico quando falo? #socorro! ahahaha

Bom dia e bom cafezinho para você leitor. ;)


Eu não lembro quando foi a primeira vez que li algum chart do Notas Sobre Ela. Eu confesso que nem ao menos lembro - e isso é um tanto quanto frustrante - como cheguei ao perfil do Zack no insta. Mas acho que foi ali, no insta, que nosso santo bateu. 


Uma publicação compartilhada por zack magiezi (@zackmagiezi) em

E eu que sempre gostei de 'legendar' minhas fotos com músicas e poesias, encontrei um cara que tinha um projeto em que escrevia notas sobre uma mulher que ele ainda não conhecia. E ao mesmo tempo, falava com todas as que conhecia e/ou cruzavam seu caminho. E foi aí que eu comecei a devorar as #NotasSobreEla...


Uma das minhas maiores felicidades foi quando descobri que o Zack lançaria um livro com esse título e falando com essa mulher sem rosto, que ele há tanto conhecia. E quando finalmente peguei o livro nas mãos, nessa última semana, devorei cada página sem dó nem piedade - em menos de um dia. Leitura leve, que acalenta o coração. Os sensíveis como eu podem se emocionar um pouco a mais em algumas páginas. Normal, algumas passagens nos tocam mais que outras - coisa de identificação com as histórias, vocês sabem como é. O livro é dividido em 4 partes - ou poderíamos dizer, 4 tempos: infância, juventude, fase adulta e velhice. E como ele interpreta magnifica e delicadamente cada uma delas. Zack parece ter a bola de cristal que muitos homens sonham e de fato, parece conseguir ler a fundo as mulheres. É comovente, você vai querer conferir. <3


Espero que o Zack siga escrevendo com essa delicadeza e sensibilidade tocantes - o mundo precisa de mais gente assim! E gratidão por tão linda dedicatória, sigo emocionada depois de finalmente conhece-lo enquanto escrevo esse post. O cara é massa, confiram - mesmo - o trabalho dele!


Uma publicação compartilhada por Camilla Carvalho (@mademoiselleparis) em


Ao retratar a mulher da infância à maturidade, Zack Magiezi mergulha no universo e na aura femininos revelando suas nuances, facetas e matizes. Dos picos de solidão noite adentro às alegrias ensolaradas à beira-mar; dos cheiros e tatos da inocência às expectativas que ora se cumprem ora se quebram; dos sonhos que reconfortam à realidade que lapida. Os vislumbres e as impressões; sentimentos e sensações; gestos, fotos, livros, discos, pessoas: nada foge ao autor. Obra inédita inspirada na série de textos que conquistou as redes sociais, Notas sobre ela é, em essência, sobre todas elas.

Notas Sobre Ela | R$34,90


Sempre gostei de descobrir novas músicas, de redescobrir tantas outras... e sempre fuxiquei que que meus amigos andavam ouvindo também. Parte de mim amava descobrir novos mundos sendo cantados em tantos ritmos diferentes, tantas vozes distintas.
Sou um mix de músicas e sons e vozes. E amo esse mix. Demorei tempo demais pra entender que não preciso me definir para ter um gosto musical. O meu é o meu. E espero que agrade algum de vocês, aí do outro lado da telinha. Aqui estão os sons mais tocados no meu mês, agrupados. Se quiser me seguir lá no spotify - basta clicar aqui. Ou fica de olho no blog, no stories, nos snaps... sempre tem música onde estou! :) AH! Dá o play! ;)



- Qual sua favorita?
Se não fossem as minhas malas cheias de memórias 
Ou aquela história que faz mais de um ano
Não fossem os danos, não seria eu... 

Camiseta, Zara; Colete, Hering Basics; Saia, Riachuelo; Meia-calça, H&M; Sapatilha, Moleca

Desde que voltei de viagem, não me acho mais no meu guarda-roupas. Não importa o quanto eu arrume, me perdi daquelas peças em algum lugar do tempo que ficamos separadas. Olho para elas, penduradas, dobradas, cada qual alinhada e pronta para uso. E não consigo mais sentir o interesse, a paixão e a identificação que tínhamos antes. Nos desconectamos. E desde então venho usando as roupas que vieram comigo na mala, à exaustão. 

- Mas você poderia comprar roupas novas, se o problema é não gostar mais do que tem. 

É, poderia. Mas também venho enfrentando dificuldades em encontrar peças que toquem meu coração sem destruir meu bolso. Desde que voltei, foquei em tentar reencontrar graça nas peças que antes, me deixavam louca de saudade além oceano. Agora, aqui, disponíveis: não me fazem saltar o coração. Visto, desvisto. E acabo sempre com um quase uniforme diário que criei para evitar dor de cabeça. Afinal, já tem muito mais coisa na vida que pode dar dor de cabeça na gente né? 
Faz poucos dias, brinquei com uma colega de trabalho que às quartas deveríamos ir de rosa. Uma menção à super conhecida frase de Regina George em Mean Girls (alô anos 90!). Quando chegou o dia, eu não sabia como lidar. Queria ir de preto. E pronto! Mas o desafio me ajudou a ganhar um pouco de aventura e lá fomos nós - eu e minha não vontade de cores - revirar todo um guarda-roupa há meses inexplorado. Não posso dizer que não gostei do resultado, achei bem fofo até. Mas estaria mentindo se dissesse que fiquei confortável nele o dia inteiro. Não sei, algo passa sempre a incomodar. Já aconteceu com vocês? 

Espero que seja uma fase. Ou teremos um bazar de roupas da tia Madi bem em breve.... 


Faz pouco menos de 2 meses que inseri meu último texto por aqui. 
Depois de um mês longe, cuidando de mim de dentro pra fora, comecei a entender o quão necessário foi essa pausa. O quanto eu estava (e ainda estou) sem energia para escrever. 
Escrever consome uma energia e tanto - apesar de quem não escreve duvidar disso. 
E essa energia que falta, me tirou as palavras, os sons. Me tirou o ar. Todos já passamos ou ainda passaremos por momentos assim. E eu só posso agradecer a cada um de vocês que gentilmente acolheu esse meu silêncio como quem abraça, aconchega, acalenta. 
Não vou dizer que tudo vai voltar a ser como era antes por aqui, pois correndo o risco de deixar o ascendente em câncer falar mais alto, diria que 'nada será como antes'.
E isso não é necessariamente ruim. Né? 



Foi uma sequencia de grandes mudanças que deixaram nosso elo, meu com o blog, de vocês com o blog, nosso, forte. E isso me faz crer que, como uma pessoa que recém-conheci disse: depois do furacão vem a calmaria. E a gente coloca as coisas em novos lugares, e a gente se reconhece de novo. 
Tô começando a arrumar a casa por aqui. Voltando aos poucos, sentindo as forças voltarem, sentido a vontade ressurgir. 

Eu sempre soube que 2017 seria marcante. Só não imaginava essa voracidade com que quase me engoliu. [risos]  Mas mesmo com tudo que ele tirou do lugar, com tudo que fez sangrar e tudo que veio e foi, sou grata. À esse ano que ainda na metade, já me ensinou mais que muitos outros. Me fez crescer, me apresentou as pessoas certas, nas horas certas. Me tirou de trilhas de espinhos, já bem arranhada. Mas em tempo de cuidar das feridas. Sou grata a cada um de vocês que não desistiu de mim e que está aí do outro lado, lendo esse texto. Sou grata a cada vento gelado, a cada raio de sol. Que bem medido, bem pesado, me ajudaram a respirar fundo e a seguir no caminho.


Uma publicação compartilhada por Camilla Carvalho (@mademoiselleparis) em

A boa notícia? Sobrevivi. Tô aqui. Tô de volta. 
E seria estranho não parar aqui e explicar timidamente o sumiço. Pra explicar timidamente que quero voltar. No meu ritmo. No nosso ritmo. Do nosso jeitinho. 

Vem comigo, leitor? 

Com carinho, 

Cami.
Na última semana estive com a Nestlé em um super café da manhã para entender melhor do que é feito meu cereal matinal. A gente literalmente colocou a mão na massa e reproduziu a receita do Nescau Cereal ali, na hora! Isso sem falar no bate-papo massa sobre ler o que se compra - a gente muitas vezes passa por cima disso né, e é tão importante...


Eu fiz vlog nesse dia lá para a loucura que está sendo o #EverydayMay - vocês estão acompanhando?

Dá o play!


E como eu sei que vocês vão querer a receita do Nescau Cereal caseiro, tomem nota: 


Amei o convite do pessoal da Nestlé - é sempre uma delícia aprender mais sobre nossos produtos favoritos! <3 
A mule, um dos símbolos mais polêmicos da moda no quesito calçados nos anos 90, está de volta. O modelo, que já apareceu nos pés de Marilyn Monroe e Sarah Jessica Parker viveu seus dias de glória apenas na época de SATC (Sex and the City). Porém como já sabemos, a moda se recicla o tempo todo, num ciclo de vai e vem de moldes e modelos. Sendo assim, chegou a hora de reviver as mules. Peças-chave nas coleções atuais de marcas como a italiana Gucci e a nova-iorquina Mansur Gabriel, dentre outras, se firmou como o sapato que você vai querer para atualizar seu look de inverno. Tem alguns vários modelos com diferentes formas de ponteira e saltos mas, hoje quero falar de uma, estilo chinelo, que eu venho namorando há quase 6 meses: a Princetown Velvet Slipper, da Gucci:


E a versão fofa dela para primavera, a Princetown Leather Slipper:


Mas como eu ainda tenho que comer muito arroz com feijão para, quem sabe, comprar meu primeiro Gucci, andei pesquisando modelos inspirados nela e que sejam mais básicos (pois vai que eu não me adapto né, melhor que seja algo fácil de combinar primeiro). E na minha busca, achei algumas opções bem bonitas e com preço acessível para quem quer testar a tendência sem precisar se afundar em dívidas. Dá só uma olhada:

1 - Mocassim Mule Luiza Barcelos 
2 - Mocassim Mule Crysalis R$149,90
3 - Mocassim Mule Dafiti R$79,99
4 - Mocassim Mule Azaléia R$99,90
5 - Mocassim Mule Azaléia - bege - R$99,90
6 - Mocassim Mule Di Cristalli - R$159,90

 Andei também experimentando alguns modelos na Marisa e na Renner mas, ainda não me decidi por uma em especial. Estou por hora namorando a pretinha de pompom que não tem o bico tão pontudo mas ao mesmo tempo se mantém fino, alongando tudo. E aí, o que vocês acham dessa trend? Se renderam ou não? Me contem nos comentários! :)
SalvarSalvar
Uma das novidades mais maravilhosas e de tirar o fôlego que rolaram na última semana foi a notícia de que a Lancôme traz agora uma família de skincare La Vie Est Belle. Sim, agora a nossa fragrância do coração conta com uma linha de tratamento 'gourmand'...  dá uma olhada:


A linha de tratamento inclui gel de banho, loção corporal e hidratante. 
Para o ritual de banho, a linha traz o poderoso extrato de Geleia Real na composição, que ajuda a deixar a pele hidratada, acetinada e perfumada. 
Já o creme corps traz em sua fórmula 15% de manteiga de karité para ajudar a pele a ter viço e elasticidade por mais tempo. 

- Louca pra testar TUDO! <3
Mademoiselle Paris

Fazia muito tempo que eu não me apaixonava assim num tom de esmalte. Tanto, que não me aguentei e tive que vir aqui dividir com vocês, óbvio.
Há tempos que eu ando num amor com tons de nude para as unhas mas, há tempos meus nudes favoritos não mudavam por nada. Mas ao pegar esse novo vidrinho da coleção da Impala que noticiei aqui recentemente e vê-lo nas unhas, caí de amores aos suspiros! O tom é perfeito, orna incrivelmente bem com meu tom de pele. A cobertura é incrível, basta uma pincelada para cobertura total e o tom fica exatamente como o prometido no vidro - o que por si só já é maravilhoso se compararmos com aquelas frustrações de esmalte quase sem pigmento. 
Ele tem um brilho envernizado liiiiindo, mesmo depois de secar. E a durabilidade... bom, essa eu volto no fim da semana para contar pois de tão empolgada, estou escrevendo horas de depois de terminar a manicure e sigo muito encantada. :) 

- E você, me conta qual seu esmalte mude favorito?

Era quinta-feira, véspera de feriado prolongado e o relógio já apontava mais de 9 da noite. Ela havia marcado um encontro com um de seus melhores amigos, Andy, ao final do expediente. Ia entregar alguns chocolates para ele e aproveitariam para tomar um café e colocar um bucadim do papo em dia. Mas, ele atrasou e ela mergulhou na imensidão da livraria que fica ao lado do café. Ela já havia comprado outro livro novo, naquela mesma semana. Se prometera que, iria tirar aqueles feriados para si, lendo boas histórias, viajando para outros lugares, descansando o corpo que andava bem mal-tratado pela correria e stress e ansiedade. É, ela amava morar numa grande cidade mas nunca quis tanto se esconder em um pequeno vilarejo distante. E como sempre, foi atrás de uma das formas mais baratas, relaxantes e deliciosas de viajar: foi atrás de livros novos. 
A dupla adquirida era daquelas de peso: um com crônicas do cotidiano, escrito por um de seus autores favoritos. Outro com uma história promissora de belas imagens para sua imaginação. 
Ela estava radiante. Mal poderia esperar para chegar em casa, debruçar-se sobre eles e deverá-los coma a ânsia de um retirante ao ver água. É, ela estava sedenta de novas histórias. Novas viagens. Novas companhias. Novos "uhs" e "ahs" que só um bom livro proporciona. 
Comprou-os, guardou-os com cuidado na delicada sacolinha de papel que lhe deram na livraria e foi encontrar-se com Andy. Metade da conversa deles naquele dia, foi sobre os livros. Ela estava empolgadíssima. Mais até do que imaginava, a principio. 

Só se deu conta quando entrou no ônibus a caminho de casa e sem querer esperar, pegou as crônicas e mergulhou. Nesse dia ela perdeu o ponto, a hora, a cabeça - voltando para casa. 

Mas encontrou uma paz que há tempos não sabia onde estava escondida. 

Vai ser lançada agora em Maio a nova coleção da C&A em parceria com a Joulik. A segunda, né? Porque a primeira, sucesso de vendas, saiu no ano passado. Eu confesso que estava na correria dos preparativos do intercâmbio na época e não consegui dar muita atenção para a first edition da colaboração. Por esse motivo vocês já podem deduzir o quanto eu fiquei feliz quando pipocou a noticia de que haveria um segundo round e que ele estava ainda mais lacrador! 


A Joulik é super reconhecida e valorizada por ser uma marca que faz suas peças à mão com pegadas divertidas e um toque de rock'n'roll. Ela traz o brilho para o cotidiano de um jeito mágico e eu que tô vivendo essa fase de "põe mais glitter" e "quanto mais paetê melhor, obrigada" vi meus olhinhos brilharem quando abri as imagens da parceria. E logo de cara, abro mostrando alguns favoritos. :)

Só eu achei que essa foto ficou com uma pegada "Girlboss" ? : P

Favoritos da Madi (ou, a wishlist da falência do meu cartão)

1) Casaqueto de Paetê - R$ 499,99
2) Short Jeans Bordado - R$ 249,99
3) Top aplicação veludo - R$ 49,99
4) Camiseta Get Lost - R4 129,99
5) Mochilinha de Veludo - R$ 189,99
6) Bota Branca - R$ 189,99
7) Camiseta básica c/ pedrarias - R$ 119,99
8) Vestido Gimme Space - R$ 49,99
9) Camiseta Mickey em Paetê - R$ 149,99

1) Casaqueto de pedrarias e paetês - R$ 589,00
2) Saia de camurça - R$ 99,00
3) Camiseta com pedrarias - R$ 169,99
4) Bota de glitter - R$ 248,00
5) Jaqueta jeans bordada - R$ 349,99
6) Bolsa de glitter - R$ 79,99
7) Camiseta Make a Wish - R$ 59,99
8) Jaqueta de glitter - R$ 229,99

A marca, ou melhor, a grife é beeeeem cara na vida real, logo eu já não imaginava preços hiper baratos na parceria né. O fato é que, óbvio, eu me apeguei nos itens mais caros da coleção. Ai Deus, porque que eu sou assim? #drama 


Ah! E deu para notar a pegada forte 80's né? Muito amor no coração! <3 Outro ponto que vale ressaltar são, claramente, as novidades: nessa coleção a parceria traz óculos de sol, lingeries e bodies em veludo e fio lurex, pensados já serem adaptáveis à tendência forte das transparências. 

Como estou só de pensar no rombo na minha conta bancária:

A coleção chega à loja virtual da C&A (www.cea.com.br) no dia 25 de maio e em lojas físicas selecionadas, no dia 30 de maio. Pelo menos ainda tem um mês pra guardar uma graninha, né? >.<
Mademoiselle Paris

Que o La Vie Est Belle da Lancôme é um dos meus perfumes favoritos da vida, vocês já sabem - eu já contei aqui. Mas aí a marca vem e pá! Lança versões desse perfume maravilhoso que caem super bem com situações específicas. É o caso do Intense, nova variação da marca para minha fragrância favorita, é perfeito para festas, jantares e situações mais chiques em que você desejar um toque mais intenso e presente do La Vie Est Belle.

A versão Intense do perfume acrescenta dois ativos importantes à sua composição: a intrigante tuberosa e a deliciosa avelã. Dominique Ropion e Anne Flipo reconsideraram a composição para ressaltar algumas notas, além de dar ainda mais corpo e uma densidade renovada.

Notas de cabeça frescas e revigorantes de um trio de bergamota, laranja e pera são expandidas com um toque de groselha, picante e frutado. A pimenta rosa dá uma pitada alegre, efervescente e extravagante. Reinando suprema como nunca, a íris é exaltada em sua mais bela variedade, a Iris Pallida Toscana. Suave, confere a esta fragrância o seu toque mágico. Junto com ela, a cativante e fascinante tuberosa. 

Desabrochando em ramalhetes brancos abundantes e intensos, a flor ostenta as suas facetas verdes e nítidas. Originária da América Central, a tuberosa foi introduzida na França no século XVII e cultivada em Grasse por muitos anos. Rica e arrebatadora, ela cativa a todos com os seus acordes persistentes. O suntuoso buquê floral também inclui ylang-ylang, Jasmim Sambac e flor de laranjeira para a mais radiante feminilidade. Como uma variedade de pétalas encantadas e encantadoras girando em torno do coração da fragrância. 

Enquanto as notas gourmand continuam sendo uma das características de assinatura, desta vez elas são enriquecidas com um acorde de avelã que dá um toque adicional de vivacidade, ecoando a faceta verde da flor. 

As notas de base desta composição persistente são confeccionadas a partir da faceta amadeirada de seu coração de patchouli, a suave doçura da fava tonka, além de notas de beijoim. 

A intensidade fica de mãos dadas com a potência e esta fragrância é ainda mais concentrada do que a Eau de Parfum, e as duas composições estão entre as mais potentes do mercado.

Mademoiselle Paris

Fala sério: não tem como não amar um perfume que logo de cara já traz uma mensagem de otimismo e felicidade em tempos tão sombrios que vivemos. Isso fora o frasco que remete aos traços de um sorriso - coisa mais linda! <3

Eu sei. Eu sei.
Eu não falo muito sobre moda masculina por aqui.
Mas o fato é que, como andei conversando com alguns colegas da revista: a moda masculina no Brasil anda chata, agonizante - se é que já não morreu. Triste, mas acho que concordo bastante com esse pensamento.
De qualquer modo, depois dessa conversa fiquei martelando isso na cabeça e pensei em dar um pouco mais de espaço para essas discussões aqui e nada melhor que ouvir a opinião dos homens nessas horas. Né? Então você, leitor, tá mais que convidado a comentar aqui embaixo o que acha da moda masculina e coisa e tal. Se tem jeito, o que te inspira, alguma dúvida. Manda pra mim que eu vou dar um jeito de responder ou conversar com quem responda. Fechado?

Mas, vamos ao papo principal. A coleção de inverno 2017 da Iódice, que chegou aqui no meu e-mail e confesso, me chamou a atenção pela fotografia um pouco mais que pelas peças.


Eu gosto bastante do acabamento e durabilidade das peças da Iódice, apesar de considerar os preços um tanto quanto elevados demais. Mas a relação de custo que a minha geração tem também tem me feito repensar meus conceitos de caro e barato então não vamos entrar nessas vias por hora... 


As características principais da coleção são tecidos tecnológicos e cortes diferenciados - além do já citado acabamento impecável. 


O conceito "Live Green" visa incentivar a prática de esportes e uma rotina de hábitos saudáveis. Porque, não querendo ser polêmica mas já sendo, está na moda incentivar essas coisas. 


Para acompanhar esse lifestyle com conforto e muito estilo, o shape slim, querido entre este público, é visto em camisas e calças de ares modernos, mas ficam lado a lado de opções em cortes retos para quem prefere um caimento mais tradicional.


Camisetas em algodão de manga curta e longa trazem estampas diversas e acabamentos que fogem do óbvio, e as polos ganham espaço nas araras exibindo delicados detalhes na gola e manga. Casacos, blazers e jaquetas também aparecem em modelos e materiais diversos como couro, tricot e moletom.


O jeanswear forma uma linha ainda mais ampla nessa temporada, com corte anatômico e lavagens diversas. Os grandes destaques ficam por conta das calças em versões ultra macias e da jaqueta unissex com bordado floral nas costas.


Agora, pessoalmente: essa onda de barra dobrada - só fica boa em alguns homens. Não sou de cagar regra em moda aqui mas, como admiradora de homens bem-vestidos vou falar: não acho que é todo cara que segura uma barra dobrada. Coisa de estilo - de vida. 


A coleção já está disponível na loja da marca na Oscar Freire e a novidade é que lá a linha tem um andar inteiro só para ela. E também dá pra achar as peças no e-commerce Iódice. ;) 


- Qual seu look favorito?

Uma das coisas mais legais em estudar fashion shopping na capital da moda e das compras, é poder conhecer lugares que eu, como simples turista, jamais entraria. Verdadeiros tesouros escondidos por trás de fachadas não tão atraentes ou marcas tão absurdamente caras que já logo se pensa: nem vou entrar pra manter meus pés no chão.
Pois bem, em uma de minhas aulas de compras (eu amo isso - aula de compras *gritinhos) Caroline me levou à Hermès Sèvres, no delicioso bairro de Saint-Germaint-des-Prés. Ali, onde antigamente era uma piscina pública de Paris, uma das marcas de maior renome no mundo da moda e acessórios ergueu uma loja conceito simplesmente fantástica! E tudo isso, aproveitando a estrutura original da antiga piscina pública. A loja com 3 andares abrange todas as possibilidades: vestuário, acessórios, decoração e inspiração. Quanta inspiração! 


A construção envolveu 150 artesãos que trabalharam duro por cerca de 2 anos para chegar nesse resultado. Segundo Caro(line), essa loja é a segunda maior do mundo - com 1470 metros quadrados - perdendo apenas para a loja da Rue du Faubourg, em Saint Honoré. 


O arquiteto responsável é Denis Montel da IBLJ - responsável também por outras 334 boutiques da marca ao redor do mundo. Um poder é um poder né? 


A boutique conta também com um café e uma linda floricultura. É passeio obrigatório a meu ver pois sua beleza merece ser contemplada. E se você é como eu e ainda tem que juntar muita grana pra ter uma Hermès, saiba que pelo menos um café e um arranjo de flores são possíveis nessa visita. :) E vamos combinar: nada mais parisiense que café e flores. <3 Salut! 

Hermès Sèvres 
17, Rue du Sèvres - 75006 - Paris