Sobre auto-estima, auto-valorização e amor próprio

2 Comments


Dia desses, me disseram: 

- Você devia se tocar que você não é nenhuma Camila Coutinho e se conter

Me peguei em choque não apenas por ter vindo de um lugar inimaginável mas também por outros fatores: quer dizer então que se você não for Camila Coutinho, não é merecedor? Quer dizer então que só a Camila Coutinho pode? Quer dizer então que eu tenho que esperar nascer de novo pois nessa vida, só posso ser Camilla Carvalho?

E pra todos esses e mais milhares de questionamentos que vinham à minha mente enquanto aquela frase ainda ecoava, eu só tinha uma resposta: não, eu não sou Camila Coutinho. Sou Camilla Carvalho e tenho um orgulho fenomenal disso. Tenho orgulho da minha trajetória e de cada tropeço que dei pelo caminho até hoje. Sei que ainda haverão inúmeros mas eu sou forte, eu tenho objetivos e sonhos e ainda mais: tenho garra e vou seguir lutando por eles até o fim dos meus dias. Tenho força de vontade e tenho prazer em ser eu mesma. Nunca estive tão bem comigo mesma e nem tive tanta certeza do que queria como tenho hoje. É, não sou Camila Coutinho. E isso, meu caro, não me rebaixa em momento algum.

E porque exatamente eu vejo cenas parecidas cotidianamente, resolvi escrever aqui. Adoro a Camila Coutinho, admiro-a por tudo que conquistou. Mas sou Camilla Carvalho e amo ser quem sou. Com cada micro-defeitozinho. E também com cada sonho que já realizei. E esse orgulho, essas cicatrizes de quase 30 anos de estrada, isso ninguém me tira. E eu já disse o tanto que eu tenho de orgulho delas? Pois são minhas, parte da minha história, de quem fui, sou e ainda vou ser. No fim, acho que essa mensagem veio até em boa hora, para me mostrar o quanto eu mudei nos últimos meses. A Camilla que entrou no avião para atravessar o oceano pela primeiríssima vez há 4 meses, não era tão segura de si. Mas sabe, realizar nossos sonhos com nossos esforços traz essa sensação. Sensação de que podemos ser o que quisermos, estar onde quisermos. Basta querer de verdade. E acreditar. E trabalhar. Com cada célula do seu corpo. O resultado vem, ô se vem. Mas só se a gente não der ouvidos a esse tipo de mensagem-armadilha no caminho, que vai minar nossa auto-estima e tentar nos fazer duvidar de nós mesmos.

Então hoje me propus um desafio que quero compartilhar aqui com você, leitor: vamos tentar incentivar ao invés de derrubar? Vamos tentar dizer coisas positivas ao invés de "zoar"com a cara de alguém e colocar a pessoa pra baixo? 

No dia que pararmos de "desincentivar" o outro, quem sabe, teremos mais gênios próximos à nós.  E se não tivermos, no mínimo teremos um ambiente mais saudável de convivência. Não seja mais um "desincentivador", o mundo já anda muito cheio deles. Se for para destruir, que tal ficar na sua? Se cada vez que pensássemos em dizer algo que pode desanimar uma pessoa, fizéssemos o contrário e pensássemos em um modo de incentiva-la a fazer ainda melhor, o mundo não teria mais felicidade no ar? Eu acho que sim. E eu estou disposta a tentar. Espero ter incentivado você hoje leitor, a dar seu melhor. E a não deixar ninguém te desviar do objetivo.

Vamos ter orgulho de quem somos e incentivar o próximo a fazer o mesmo? Então vamos!


Leia também

2 comentários:

  1. Uau, falou e disse!!!! Parabéns!!! bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Camila, vou te confessar: sei quem é Camila Coutinho por foto e nada mais, n tenho a mínima ideia do que faz nem como vive kkkkkkkkkkkk
    Mas vamos ao post, dia desses li: 'seja um incentivador de pessoas, o mundo já tem críticos demais' e parei p refletir, realmente existem mt mais pessoas p criticar q incentivar, e isso é muito triste!!!!
    Sejamos incentivadores!!!

    Bjooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir