Não é o primeiro ano que o Spotify faz uma seleção e nos presenteia com uma super seleção das nossas músicas mais ouvidas. E esse ano eu fiquei tão apaixonada com a minha seleção que resolvi compartilhar aqui a playlist completa. 
E também decidi comentar as histórias que me vem à cabeça com as 5 primeiras (só as 5 pois nenhum de vocês vai ter saco ide ouvir 100 histórias hoje - imagino). 😅


1) Perfect Duet (Ed Sheeran & Beyoncé)
Eu dou até um suspiro só de lembrar dessa música. A primeira vez que eu a ouvi foi em Paris no, no finalzinho do ano passado. E foi com ela que eu praticamente iniciei o ano de 2018 pois foi vício desde o primeiro acorde.

2) Sous le ciel de Paris (Zaz feat Pablo Alborán)
Quando ouvi essa parceria da Zaz com Pablo, misturando francês e espanhol e dando um shape novo para uma das minhas músicas francesas favoritas eu surtei. Ficou no repeat e entrou pra minha lista de Paris pois, é das maiores alegrias caminhar por lá com ela no meu fone, de trilha sonora. Recomendo! 

3) Clandestino
Sendo o show mais esperado do meu ano de 2018, não é de se estranhar que o hit mais recente da musa Shakira esteja em meu top 5 né? Aliás as minhas 5 mais ouvidas do ano foram dela - veja bem... ;)

4) A Million Dreams 
Tava faltando um representante musical, doce e que fizesse a imaginação voar, não estava? Pois essa música vai e vem da minha cabeça nos momentos mais inusitados. E eu viciei nela demais, demais! 

5) Mia & Seastian's Theme
La La Land é doçura pura e essa trilha com certeza entrou para o hall de trilhas que quero dar um jeito de ter no meu casamento - um dia! *risos 
E você, gostou da sua seleção de músicas do ano? Conta pra mim quais as suas 5 primeiras da lista aqui nos comentários e vamos trocar ideias e inspirações musicais. :) E se você ainda não fez sua retrospectiva, clica aqui e faz agora mesmo! 
Muita gente ainda acha que fazer turismo no inverno é ficar nos programas "in door". Eu discordo.


Em Paris, bem como em outros lugares da França e da Europa, o inverno pode ser bem ensolarado, iluminado. Um céu azul lindíssimo - que porém, não garante menos frio mas, garante sim um cenário incrível e otimista para passeios ao ar livre.

Pensando nisso, fui atrás de dicas de terraços na cidade luz para visitar. Tome nota!

- La Terrasse - Galeries Lafayette
Foi onde tirei a foto de capa desse post e também o primeiro rooftop que conheci na cidade luz. Eu nem sabia direito muito bem o que esperar de lá mas, aproveitei que tinha ido conhecer a loja para subir até o Terraço. Você pode fazer uma reserva no bar/café que tem por lá e ficar dentro de iglus transparentes, protegido do vento e brindando o por-do-sol. Ou pode só encostar na marquise como eu, e chorar com a beleza da vista. ❤

- Terrasse du BHV
A BHV é outra loja lindíssima, localizada pertinho da prefeitura de Paris e da Île-de-la-Cité. A vista é sensacional, o lugar é um puro charme. E eu não consigo entender por qual motivo os guias não comentam desse lugarzinho de Deus.

- Centre Pompidou
Eu confesso que demorei muito para conhecer o Pompidou. Sempre acabava passando outra atração na frente e tinha recebido fortes indicações de reservar um dia inteiro para ele - o que, graças aos céus, eu obedeci. O museu todo é lindo, cheio de alas novas e antigas por todos os lados. Mas o que realmente me fez cair de amores pelo lugar foi a arquitetura de canos e tubos aparentes e coloridos, as escadas infinitas ao lado de um paredão de vidro que vão te levando para os andares mais altos enquanto você aprecia a cidade indo ficando menor. No terraço há um restaurante - lindo e meio caro - que estava fechado para reformas quando fui mas, que já voltou a funcionar normalmente. Porém você pode ficar em um corredor fechado observando a vista pelo vidro, que não deixa de ser algo que faça suspirar.

- Arco do Triunfo
Cada degrau de pedra vale a pena quando você chega ao seu topo e vê a Champs-Elysées do alto. E se for na época do natal ainda, que tem o Plus da decoração de luzes, fica ainda mais mágico.


- L'Oiseau Blanc, no Península
O terraço do Península Hotel é uma opção romântica e glamurosa se você quiser algo chique para seu passeio. O lounge é todo pensado pelo tema da aviação (inclusive tem um avião real oficial no seu interior). Mas vale a nota: um menu completo por lá não sai por menos que 150 eurinhos. 💔

Esses são apenas alguns dos inúmeros lugares com vista na cidade-luz. Você tem um favorito que não apareceu nessa lista? Comenta aqui pra mim! :)

Olá leitor! Bom dia nublado pra você. 
Sim, por aqui o dia amanheceu com previsão de 14ºC e meio estranho.
Confesso que estou ainda confusa com o clima brasileiro nesse início de dezembro.
E como por aqui a saúde anda meio frágil por conta da TPM e da adaptação que sempre rola quando as temperaturas começam a subir - bem, hoje não seria um exemplo mas, você me entendeu né -, estou achando que vem um resfriado por aí. Fiquei lembrando que nessa mesma época no ano passado, passei pelo mesmo problema e como não consegui me livrar 100% dos sintomas antes de viajar, lutei bravamente com a gripe durante o ano novo em Paris e suas baixas (e úmidas) temperaturas. Então, pensei: por que não compartilhar dicas de como não gripar no inverno para aqueles que estão prestes a embarcar para esse lugar mágico? (ou qualquer outro, que tenha um inverno similar - obviamente).

Preciso começar falando que prestar atenção no seu corpo e em como ele reage às coisas e às situações é uma ótima maneira de começar. Eu, por exemplo, sei que tenho enxaqueca se não me alimentar bem de manhã e à noite e também sei que tendo a me sentir mais confortável e com menos frio se meus pés e pescoço estiverem bem aquecidos. E você? Já parou para fazer esse tipo de exercício? Garanto que pode ajudar em sua incursão no inverno. ;) 

Mas vamos lá: manter-se saudável em viagens durante o inverno requer muito mais que saber respeitar suas necessidades de calor e comida. Anote: 

1- Hidrate-se
No inverno, principalmente, as pessoas tendem a beber uma quantidade menor de água por conta do frio. E você precisa lutar contra isso pois a água em seu corpo ajuda os seus órgãos a funcionar melhor, cuida da sua pele e ainda garante uma ajuda extra para enfrentar o seu voo de ida e de volta. Leve sempre uma garrafinha com você e crie o hábito e ir tomando pequenas porções de água ao longo do dia. Você verá com clareza a diferença no seu corpo. 

- Respeite seu sono 
O corpo que não consegue a quantidade de sono necessária para se recuperar após o turismo fica debilitado e mais propenso à viroses e afins. O ideal é matar o jet lag logo no primeiro dia de viagem, entrando assim no ritmo e horário do lugar - o que vai fazer com que você aproveite melhor sua viagem e ainda se mantenha bem por toda sua duração. 
Outra dica é: se seu voo chegar pela manhã no destino, mantenha-se acordado e vá dormir no início da noite, se permitindo uma longa noite de descanso. Se seu voo chegar à noite, crie um clima relax ao chegar no hotel para que a ansiedade de iniciar a viagem não te iniba de ter uma excelente noite de sono. 

- Mantenha uma rotina de alimentação 
Aqui não vou falar de dieta - afinal, você está de férias e curtindo! Mas é muito importante garantir alguma regra nos horários de se alimentar pois, se você for como eu, pode se empolgar demais com passeios e atrações e deixar de se alimentar direito - ferrando com a sua imunidade logo de cara! 

- Álcool gel e lencinhos para mãos e corpo
Pode parecer toc para alguns mas, aprendi nesses últimos anos de viagem que ser um pouco germofóbico ajuda a se proteger - e muito - no inverno. Leve com você um daqueles potinhos de álcool gel para mãos, assim você pode garantir que estará com as mãos super limpinhas para comer aquele crepe à beira do Sena, por exemplo. Só esse item já te previne de tantos vírus que nem sei... ;)

- Se exercite
Essa é pra vida, e não apenas para viagens. Mas vale lembrar que se você se exercita com frequência o seu sistema imunológico fica mais forte, acompanhando o desenvolvimento do seu corpo. Isso ajuda não só a previnir doenças como a ter uma recuperação mais rápida caso a gripe pegue você! Caminhe, dance, corra! Encontre uma atividade prazeirosa e se jogue. O importante é se divertir cada vez mais nessa vida! 

E uma dica extra que particularmente funciona demais para mim no inverno é: mantenha-se aquecido mas evite suar. Ou seja, não saia com tanta roupa que te sufoque caso você decida ir a pé. Suor no frio é um veneno, como diria mamãe. Pois a soma de vento gelado e chuva com suor no seu corpo é gripe na certa. Euzinha sempre prefiro manter o corpo aquecido com cafés (meu vício que se potencializa fortemente nessa estação) e também entrando em locais fechados que contém calefação de tempos em tempos. 

E você, tem dicas? Compartilha aqui nos comentários comigo! :)

Há tempos eu andava sonhando voltar para o curto. E, verdade seja dita, eu demoro um tempo considerável para criar coragem de ir cortar o cabelo - seja esse um corte básico, só pra acertar as pontas, seja um corte radical, como foi esse último. Antes eu achava que fazia isso para poder ir em profissionais melhores, então, esperava juntar a grana pra ir cortar. Acho que olhando friamente para isso hoje, vejo que tem muito da preguiça e muito da acomodação com a imagem no espelho envolvidos. Você, leitor, também tem dificuldade com mudanças assim? 

O incerto me assusta só de pensar. 

Mas juntei minha coragem com um pouco de saco cheio do visual de cabelão e uma pitada de solidariedade (pois decidi que além de mudar o visual, queria doar o cabelo que cortasse) e fui lá visitar o Edu, no Retrô Hair aqui de São Paulo.

Na espera, me peguei olhando minha pastinha de inspirações de cabelo no Pinterest - aliás, vocês já estão comigo por lá? Bora trocar ideias e inspirações juntos! : )


Depois de mostrar algumas inspirações para meu uso, Edu, do Retrô Hair aqui de SP, ele tomou as rédeas da situação e eu relaxei - o quanto pude -, aguardando pela mudança.
Antes de mais nada, nós batemos o martelo: vamos doar o cabelo cortado. Então, fizemos uma super hidratação antes de qualquer outra ação. Vou falar pra vocês que sou apaixonada pelo lavatório do Retrô por ele ter as "cadeiras" quase que em forma de espreguiçadeiras: o que diminui muito o incômodo que eu mega sinto no pescoço em outros lugares. Lá eu deito e realmente relaxo enquanto lavamos os cabelos ( e eu já falei aqui que eu poderia lavar o cabelo no salão toda semana, se dinheiro pra isso eu tivesse *rs ).
Na sequência, sentei na cadeira do Edu e entreguei a transformação que eu queria nas mãos dele - dá o play:


Cortar um tanto assim de cabelo de uma vez só foi assustador e libertador. Impactante e emocionante. Definitivo. :) Dali pra frente, repicamos, desfiamos, passamos até navalha para finalizar o corte de um jeito leve e delicado, que favorecesse meu tipo de rosto e meu estilo. Eu posso dizer que, após um mês da mudança, sigo muito feliz com a mudança. E sigo testando finalizações, penteados e produtos novos - louca pra contar se vocês quiserem, inclusive!


Já tem esse cabelo curtinho há mais tempo? 
Me manda dicas aqui que eu tô na fase de descobertas ainda! :) 
Falamos muito de música e bem pouco, quase nada, de shows por aqui, desde o início do blog. Fato é que eu nunca fui muito de grandes shows. Estádio lotado. Dias e noites na fila. Essas coisas.
Apesar de que, puxando pela memória, eu tive sim minha fase boyband fan, de acompanhar algumas bandas pequenas - na época - pra cima e pra baixo. 

Porém, nesse intrigante 2018, o bichinho dos shows me picou e eu ando alerta pra conseguir ir em alguns bem importantes, que vão rolar nos próximos meses. 


Um deles é o "The Monolith Tour" do 30 Seconds to Mars, que chega ao Brasil no fim do mês para 3 apresentações: em São Paulo (27/09), Porto Alegre (29/09) e Curitiba (30/09).

Confesso que ando bem empolgada com essa vinda deles ao Brasil e mexendo meus pauzinhos pra conseguir ir conferir esse show - mesmo em meio à maluquice que anda minha agenda e vida nessa reta final de ano. Alguém mais aí nessa situação?

Fiz uma seleção do meus top 3 do novo álbum, dá o play e canta comigo:

- Rescue Me


- Walk on Water


- Dangerous Night



Serviço
The Monolith Tour
Ingressos a partir de R$120
Venda em www.livepass.com.br
Sou da década de 80 mas, vivi minhas primeiras experiências fashionistas mesmo foi na década de 90. Aquela década em que o único jeans aceitável socialmente entre os jovens era o estupidamente baixo, aquele que beirava a indecência. Sim, teve uma época que a galera perdeu mesmo a mão e ficou indecente - mas passou. UFA! 

Fato é que nunca tive um corpo que ficasse bem naquele tipo de jeans: quadril largo e cintura fina com calça dividindo quadril deixa a gente, além de desconfortável, deformada com o passar dos anos. E teve sim toda uma geração que ficou com algumas marcas no quadril de tanto que esse diacho (desculpa mas, só "diacho" expressa meu sentimento com relação à essa moda) desse jeans era 'obrigatório'. Foi nessa época que eu comecei a saber o que eu não gostava: e eu não gostava desse jeans. Ponto final. Peguei ranço. Dos mais profundos.

Quando saí do colégio e entrei na faculdade, meu mundo ficou cor de rosa com a liberdade de poder usar vestidos e saias para a aula, coisa que até então era vetado por algo chamado "uniforme escolar". E que eu, como 99% dos colegas, detestava. 

Aí foi um desbunde. Eu peguei paixão por me arrumar pra ir à aula, ao trabalho... era divertido e sempre uma experiência de auto-conhecimento. 

O que eu demorei pra perceber foi que: eu praticamente bani a calça jeans da minha vida. 


Lembro bem quando estava no 3º ano de jornalismo, um ex-namorado me criticando por eu não ter nenhuma calça jeans no armário. Ele dizia: 

- Mas como assim, você não tem o básico? 

E eu achava ofensivo até pois, o básico pra mim na época (e até hoje, na verdade) era meu combo de saia rodada com camisetinha por dentro. Ou vestidinho hippie - sim, eu tive essa fase. CORTA! 

Há 15 anos esse combo aí da foto desse texto seria a combinação de tudo que eu menos gostava em mim no quesito roupas: jeans + tênis + terno largo e camiseta com gola alta estilo uniforme de colégio (e larga, ainda por cima). 

Seria. Mas não mais. E me atrevo a dizer que acho que a roda-gigante da vida me fez reencontrar o jeans com camiseta (que era meio que o uniforme da época de colegial, quando conseguimos nos livrar da finada calça de tactel) exatamente para me dar uma solução em meio ao caos que minha vida se encontrava. 

Eu sigo amando me arrumar. Mas algumas produções que foram meu básico na última década estavam já meio sem graça pra mim. E venho há uns dois anos sentindo uma transformação no meu jeito de comprar e escolher roupas - mas, isso fica para um outro post. 

Enfim, apesar de continuar amando produções com tempo e dedicação, ter esse tempo hábil para me dedicar à esse prazer fashionista vem se tornando cada vez mais raro. E foi daí que nasceu minha vontade de retornar ao jeans. 

Acho que posso dizer que também fui positivamente influenciada por mulheres maravilhosas ao meu redor, usando os tipos mais lindos e charmosos de jeans. E eles tinham o que em comum? Cintura alta, aquela belezinha que modela o nosso corpo e deixa tudo mais lindo - pelo menos aos meus olhos. E das formas mais estilosas, únicas e incríveis. 

E foi assim, despretensiosamente, que há mais ou menos um ano eu comprei uma calça jeans com bordados nas pernas. Me apaixonei tanto pela dita cuja que, hoje, quase um ano depois, já somo mais de 5 calças em um armário antes dominado por saias e calças exclusivamente sociais. 

E eu ando tão no modo jeans, que nem eu consigo imaginar mais aquele ranço, de outrora. 

Encontrei meu estilo dentro dessa categoria e agora sei o que me veste bem. O que valoriza o que eu gosto e esconde o que eu não gosto tanto assim. O que me deixa sentindo poderosa e ao mesmo tempo, confortável. O tal do curinga do armário que tantos falaram e que minha mãe sempre dizia que "combinava com tudo". 

Bem-vinda de volta calça jeans. 
Que seja o começo de uma relação mais madura, saudável e muito feliz. :) 


Vocês não amam essa roda-gigante que representa nossos gostos ao longo da vida? Eu sim! Quis registrar aqui e abrir essa discussão: você já passou por isso de começar a amar uma peça que antes repudiava? Me conta nos comentários, vou amar discutir sobre isso com vocês ❤️
Quem nunca sonhou em poder viajar no tempo para falar com seu eu mais velho e/ou mais jovem? O que você faria se soubesse exatamente o que vai resultar das suas ações de hoje?

Essas perguntas permeiam a narrativa de "A Dona da História", uma comédia leve e fofinha sobre a tentativa de Maria Helena (a personagem) de ter uma história bonita de amor pra contar. Por essa frase de introdução, se você já é leitor das antigas sabe: me derreti e identifiquei com a tal da Maria Helena. #soudessas


Mas vamos à dados mais sólidos dessa história:

A peça traz ao palco o encontro impagável da Maria Helena de 15 anos com a Maria Helena 35 anos mais velha: aos 50. Juntas, elas discutem e se indagam sobre decisões, amizades, relacionamentos, escolhas e atitudes num cômico e, ao mesmo tempo, trágico encontro de versões.
Aquele lance de "expectativa e realidade" que tanto vem se falando nessa internet de meu Deus. ;)
Em sua montagem original, de 1997, Andrea Beltrão e Marieta Severo encantavam o público. Hoje, a bola passa espetacularmente para Ângela Dippe e Luana Martau.

A peça fica em cartaz no Teatro Opus, que fica dentro do Shopping Villa Lobos, aqui em São Paulo. Infelizmente, a temporada é super curta e já se encerra dia 23 de setembro - corra pra lá!
Agora, falando do teatro, ele é uma delicinha, razoavelmente novo aqui na cena teatral da cidade e conta com um rooftop de "brinde" que te dá uma vista bem fofa e paulista. Reserve um momento com seu date por lá pra ver as luzes da cidade do alto e também pra fazer uma foto. Vale a pena!

Serviço
A Dona da História
Teatro Opus - Avenida das Nações Unidas, 4.777
Sábados às 21h e domingos às 19h
Ingressos entre R$50 e R$100 reais
Mais informações no site do Teatro Opus, clicando aqui. 

Mais uma união de gigantes para a nossa alegria :)

A Vans e a Disney se uniram para comemorar os 90 anos do ratinho mais lindo, fofo e popular do mundo. E para essa parceria hiper especial, ainda foram convidados os artistas John Van Hamersveld, Mister Cartoon, Geoff McFetridge e Taka Hayashi, todos criando visões e gráficos únicos incorporando o “Mais Original” do mundo Disney.

Em uma coleção pensada especialmente para a ocasião, cada arista traz seu olhar para Mickey Mouse utilizando uma icônica silhueta da Vans como base: o OG Sk8-Hi LX - esse de cano mais altinho da foto. ;) 


A coleção foi lançada no último dia 25 e para saber mais detalhes é só acessar o site da Vans: https://www.vans.com.br
Chegar de viagem, por mais curta que o trajeto possa ser, dá uma canseira real. Acho que é por meu instinto de não dormir quase nada em viagens para tentar "aproveitar cada segundo" da experiência. Vocês também são assim? 

Aqui tô deixando um resumão dia a dia do que foi nossa uma semana em Buenos Aires. Fiquem de olho nos demais posts para mais dicas e detalhes! :*

8 dias em Buenos Aires

Dia 1
Foi nosso dia de ir para Buenos Aires, então reservamos esse dia pra chegar.
Reconhecer o entorno de onde ficaríamos hospedadas, comer e nos preparar para a semana.

Dia 2
Domingos são bem calmos em Buenos Aires se você não estiver na zona turística, já fica aqui o aviso. Se estiver frio então, você só vai encontrar movimento nas áreas centrais mesmo. Então na hora de se programar para um domingo, leve isso em consideração e garanta um bom café da manhã com reserva prévia ou compre comida pra ter com você ;)
Nós tomamos café em casa e saímos para caminhar até o Obelisco, pois queríamos nossa foto turista pra estrear a viagem. De lá, fomos caminhando pela 9 de julho até a Avenida de Mayo, onde estava rolando uma super feira de rua em homenagem à Rússia e cheia de comidas típicas apetitosas.
Acabamos não aproveitando muito a feira pois tinhamos marcado tour guiado na Casa Rosada em seguida - aliás, fica a dica: os tours na Casa Rosada são gratuitos. Porém só acontecem aos fins de semana e precisam ser agendados com 15 dias de antecedência pelo site. Vale muito a pena se programar! ;) Depois da visita fomos caminhando até o apartamento para adicionar uma camada de roupa e descansar um pouco antes do jantar.

Dia 3
A segunda-feira chegou e nós tinhamos um passeio de bicicleta agendado para o período da tarde. E como o dia amanheceu meio feio e com chuva, resolvemos tomar café em casa, nos arrumar com calma e sair mais tranquilas.
O Turismo de Buenos Aires oferece várias opções de tour de bicicleta pela cidade, o que garante uma experiência única e super deliciosa, vale conferir!
E como era nosso primeiro dia útil na cidade, foi aqui também que fizemos nosso cartão do metrô para andar pela cidade - você pode fazer em qualquer posto de atendimento ao turista.

Dia 4
O sol voltou a brilhar como nunca apesar das baixas temperaturas e nós decidimos conhecer um café super simpático que havíamos namorado no dia anterior. De lá, caminhamos pelas ruas do centro, em direção à uma reunião com a turma querida do Turismo de Buenos Aires. Aliás, o prédio é lindíssimo, uma antiga fábrica por fora e um super prédio moderno e lindo e criativo por dentro. Amei demais poder ter a oportunidade de conhecer :)
Na sequência paramos um pouco na praça em frente chamada Parque Lezama, para curtir o sol, os pássaros e a vista. QUE VISTA. <3
De lá, pegamos um ônibus de volta ao centro (10 pesos por pessoa, com o Subte, fica a dica) e, lá, embarcamos no Bus Turístico de Buenos Aires. Vou falar melhor desse passeio em um post exclusivo mas, já fica a dica aqui pra vocês: tem que fazer! Ficamos nele até o final do percurso, quando voltamos ao centro para almoçar e encerrar nosso dia, por volta de 8 da noite.

Dia 5
Fomos andar um pouco mais de Bus Turístico, pela 3ª e última rota de pontos que a atração oferece. Quando o ônibus chegou ali nos Bosques de Palermo, descemos e fomos caminhando pela maravilhosa Avenida del Libertador até a Plaza de Francia, onde ficamos um tempo contemplando as belezas naturais, tirando fotos e aproveitamos para comer umas bolachinhas. Logo atrás da praça ficam dois pontos de interesse: o Hard Rock Buenos Aires e o Buenos Aires Design (um shopping de design hiper fofo e com uma praça de alimentação liiiiiiinda!). Óbvio que a essa altura eu já queria mais um café e fui dar uma olhadela no shopping em busca de opções: Starbucks? :P 
Uma forma de atravessar da Plaza Francia para a rua do Cemitério da Recoleta é indo por dentro desse shopping, inclusive. Conseguimos poupar a mama de uma subidinha chata e ainda conhecemos um lugar novo. Saindo pela Junin você vai ter num raio de 500m: a Igreja da Nossa Senhora do Pilar, a entrada principal do Cemitério da Recoleta e uma porção de bares e cafés super badalados!
Fomos na igreja, consegui visitar o túmulo de minha diva Eva Perón e depois nos encontramos com a Adriana - fotógrafa brasileira queridíssima com quem fizemos um pequeno ensaio para mostrar a Paris Latina que vive ali, no coração de Buenos Aires. 

Para saber mais do ensaio fotográfico em Buenos Aires com fotógrafo brasileiro, clique aqui. :) 

Após as fotos, ainda visitamos El Ateneo - um antigo teatro que hoje abriga uma livraria belíssima, mantendo a estrutura original. Fiquei encantada! Se você também curte livros e teatro como eu, anota mais esse ponto de interesse na listinha! 
Fechamos a noite jantando em uma lanchonete super popular, a Mostaza. A escolha foi por praticidade e proximidade de casa: era na esquina! E estávamos exaustas!

Nota: nesse dia, eu e mamãe caminhamos quase 15 quilômetros pela cidade. Um recorde para minha velhinha. E ela fechou o dia com um chá e um sorrisão no rosto, ao chegarmos no apartamento! :)

Para ver o vlog dessa aventura, clique aqui. 

Dia 6
Nosso sexto dia de viagem era também o dia do aniversário de mamãe e nós havíamos programado fazer tudo que ela mais queria: passeio de trem até a cidade de Tigre, mais ou menos uma hora de trem partindo da Estação do Retiro. Depois veríamos o pôr do sol em Puerto Madero e escolheríamos algum restaurante por ali para jantar e celebrar. Pois bem, deu tudo errado! :( 
Nesse dia, houve manifestação de motoristas e a cidade amanheceu um mini caos. Fomos a pé de nosso apartamento até a estação, mais tarde do que havíamos planejado mas, convictas de seguir o plano. Ao chegar na estação, tivemos uma nada boa surpresa: nosso subte (tipo de bilhete único da cidade de Buenos Aires) havia tido algum problema técnico e se desmagnetizou. Depois de alguma burocracia com a área responsável da estação, fomos informadas que apenas poderíamos ser ressarcidas do valor que havíamos carregado na noite anterior, em uma semana. 
Quer saber mais sobre o drama desse dia? Clica aqui pra conferir o vídeo com a gente explicando!

Dia 7
Depois de um dia ruim, uma noite gostosa e muito exercício de respiração pra seguir em frente, acordamos já saudosas com o fim da viagem se aproximando. Então decidimos ir para o bairro de La Boca, conferir a feirinha, ver um tango, comer umas empanadas... 
Dica: muitos restaurantes por lá não aceitam cartão, bem como as barracas de feira. Leve dinheiro vivo com você para esse passeio. 
Vem conferir o vlog aqui. ;) 

Dia 8
Nosso último dia começou cedinho, para terminar de fechar as malas e aproveitar mais um pouquinho da cidade. Sempre gosto de deixar para o último dia coisas como: algo extra de farmácia, souvenires e afins. Pois aí já sabemos como a mala está e podemos só "completá-la"! 
Vem conferir o vlog da nossa volta? Só clicar aqui! ;) 

- Hasta luego, mi Buenos Aires querido! 
Começou nesta segunda (20/08) a semana de beleza que muitos aficcionados esperam - afinal, não é todo mundo que pode bancar uma ida à salões badalados de beleza né? Mas curiosidade pra saber como é fazer aquela hidratação top com profissionais renomadíssimos, ah... isso a gente tem e muita! 


E se você é como eu, curioso, anota: entre 20 de agosto e 2 de setembro acontece a 9ª edição da Beauty Week - semana dedicadíssima a deixar a "alta" beleza acessível pra todos nós! 
Os pacotes oferecidos podem ser adquiridos por valores entre R$60 e R$390 e o evento acontece em 6 cidades brasileiras: São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Curitiba, Belo Horizonte e Salvador. 
Você pode conferir todos os serviços e tratamentos disponíveis no site do evento - que também disponibilizou combos (a gente ama um combinado bão!): http://beautyweek.me

Eu dei uma zapeada no site vendo as ofertas de SP e selecionei algumas que achei bem boas - e estou decidindo qual reservar pra mim mesma, inclusive. Então se você é de São Paulo, tome nota: 


- E aí? Partiu salão? :)
Na última semana recebi uma novidade super legal e com timing perfeito: a nova linha Detox da Raiz de head&shoulders. Como o nome já adianta, ela vem pra ajudar a limpar todos os resíduos de produto, poluição e suor que se acumulam na nossa raiz com o passar do tempo.


A ideia da linha, como já antecipei ali em cima, é garantir uma limpeza profunda e proteção para o crescimento de fios bonitos, fortes e saudáveis.

"Como o couro cabeludo também é pele, semelhante à do rosto, precisa de uma rotina de cuidados para remover as toxinas que diariamente se acumulam e geram desequilíbrio. A falta de atenção com essa área pode causar oleosidade excessiva, descamação, ardor, coceira e queda dos fios"
Juliana Neiva, dermatologista

Tá, mas a gente já conhece shampoo antirresíduos, vocês podem estar pensando aí do outro lado da tela. Mas o lance dessa linha é que, diferente dos shampoos que já testei para esse fim, que devem ser usados uma vez por semana e tal... a linha Detox da Raiz foi pensada para o uso diário! Isso mesmo, além de remover resíduos, ela também promete hidratar não somente os fios como o couro cabeludo também, deixando-o bem cuidado e com uma fragrância refrescante de pepino.

Então anota aí as promessas dessa linha:

Desintoxica a raiz
 - possui um agente de limpeza suave, rico e indulgente que produz espuma cremosa. Com pepino e menta em sua fórmula, ele purifica o couro cabeludo e o cabelo.

Proteje mais
 - deposita profundamente micropartículas de zinco nos poros do couro cabeludo. Elas continuam agindo mesmo após a lavagem, melhorando a saúde dos fios e protegendo o couro cabeludo por um tempo maior.

Hidrata mais
 - controla a umidade da pele, fortalecendo e tonificando os cabelos, o que acaba resultando em menos danos e descamação.

Dá a sensação de refrescância e renovação
 - tem ingredientes que proporcionam uma experiência singular durante a lavagem

E adivinhem quem é o rosto desse lançamento, mores?


Bruna Marquezine em toda sua divindade, é a estrela do lançamento desse novo produto do portfólio da marca. Se for pra ficar com esse cabelo, então tá topado head&shoulders! :P

Comecei a testar no dia seguinte que o kit chegou em casa e preciso dividir com vocês aqui as primeiras impressões: achei muito bom, quando comparado às minhas experiências anteriores com produtos da marca. Ele é super leve, não pesa no couro cabeludo. E realmente dá uma sensação de limpeza e frescor dignas de dia de verão, muito graças à presença de menta e pepino, é verdade. Bem pensado, galera do desenvolvimento! 

O shampoo chega aos pontos de venda em dois possíveis tamanhos - 200 e 400ml -, enquanto o condicionador fica disponível apenas na embalagem de 200ml. Os preços sugeridos seguem a média da marca: R$14,90 para o shampoo de 200ml, R$19,90 para o shampoo de 400ml e R$16,90 para o condicionador.

...
Vou seguir usando por mais algumas semanas mantenho vocês informados dos updates de opinião lá no Instagram stories - combinado? 

E me contem aqui embaixo se já testaram ou se pretendem testar - vamos trocar figurinhas! ;)
Que a vida por aqui é mutcho louca, à essa altura do campeonato você já notou, né leitor? 
Cada mês uma rotina nova, graças a essa louca profissão que escolhi. Mas não reclamo, gosto de testar várias formas de organizar o dia, é quase que um desafio pra mim. 


Eu, que sempre disse odiar rotina, descobri recentemente que odeio é ter que me adequar à rotina dos outros. É, fato. Mas como nem tudo na vida são flores, às vezes precisamos ceder e nos moldar ao que o trabalho, família e universo que habitamos espera de nós. E é o que vem ocorrendo nessa segunda quinzena de julho. Iniciei um projeto de um mês que me exigirá estar presente no escritório em horário comercial: sim, de 9h às 19h. Tudo que eu menos curto em questão de horário. Mas, bora lá que o projeto é legal e os boletos não se pagam sozinhos né? 
Logo nos primeiros dias de projeto ficou claro que eu precisava de um plano para manter minhas coisas off-escritório rodando. E foi aí que eu lembrei do tal do 5am Club. 


O "The 5am Club" é um livro de muito sucesso e repercussão escrito por Michael Lombardi. Nele, o autor defende a ideia de que acordar às 5am torna seu dia mais produtivo, energizado e organizado.

Eu confesso que não li o livro todo mas, tô em vias de! De qualquer modo, fui muito impactada por uma matéria que li sobre ele no LinkedIn e decidi tentar a sorte. Eu nunca fui uma pessoa matinal mas, reza a lenda que além de ser bom para o físico, é ótimo para nossa mente. 

E foi exatamente pensando nisso que eu decidi que ia começar a levantar às 5am. E fiz notas dia a dia para compartilhar com vocês - preparados para esse mini diário?


Segunda - 16/07
Mesmo tendo definido que ia deitar cedo na noite anterior, não consegui cumprir a meta, indo dormir bem perto da meia-noite. De qualquer maneira, estava tão determinada a conseguir levantas às 5 no dia seguinte que venci. Treinei, tomei banho, lavei cabelo, me arrumei, tomei café e bati ponto no escritório às 9am. No fim do dia, me atrapalhei novamente na tentativa de ir dormir cedo. Já comecei a prever uma bola de neve...

Terça - 17/07 
Acordei com um pouco de dificuldade mas, animada. Fui malhar, voltei um pouco mais cedo que no dia anterior e ainda consegui ler algumas páginas do meu livro atual. Depois foi a rotina normal até chegar novamente ao escritório, às 9am. Nesse segundo dia, o sono veio me consumir na parte da tarde e tive que lançar mão de litros e litros de café para viver. Deu certo. Mas...

Quarta - 18/07
Minha personal diz que tão importante quanto manter a rotina do treino é respeitar meus dias de descanso e meu sono. Como o sono já é meio difícil de controlar pra mim, ao menos tentei levar a risca o que ela disse e tirei a manhã de quarta para dormir duas horas a mais, me levantando somente às 7am. Foi um dos piores dias de trabalho do meu ano! Parece que mesmo eu tendo dormido duas horas a mais o corpo havia sido mutilado. Sofri uma ressaca sem bebida e passei maus bocados para me manter na ativa durante o dia.

Quinta - 19/07
Desafiando a lógica da exaustão, acordei às 5am novamente e fui correndo para a academia. Fiz o treino todinho, para a felicidade da personal. O dia correu com algum sono mas, bem menos efeitos colaterais que na quarta. Estranho, pensei. À noite, fui assistir dois amigos no teatro e cheguei tarde em casa: resumo da ópera: fui deitar quase meia noite novamente, já sabendo que isso não poderia prestar...

Sexta - 20/07
A sexta chegou e com ela veio todo o cansaço acumulado da semana. Acordei às 5am, fiz academia, tomei café, banho e fui para o escritório. Passei o dia mergulhando no café e até apelei para um energético mas, nada ajudou. Foi bem complicado viver na sexta, admito. Parece que eu tinha exaurido minhas forças todas. E exauri!

Sábado - 21/07 
Eu me deixei dormir até 7h30, afinal era sábado. Mas para quem normalmente sairia da cama lá pelas 10h30, já foi uma super vitória. O grande problema aqui foi que acordei transformada e tomada pela gripe. Chateada? Pra caramba! Fiquei meio off, meio introspectiva, meio me cuidando.

Domingo - 22/07
Confesso: entre um seriado e outro, um espirro e outro, fui dormir tarde de sábado para domingo. Então fiquei curtindo uma deliciosa (na medida do possível graças a gripe) preguiça dominical. A parte boa da gripe? Mimos, é óbvio! E calorias - ah! Pois elas não contam no período de gripe, amigos. Pode comer sem culpa e com vontade!
E foi bem o que eu fiz. Arrasei do café da manhã até a ceia, no fim do dia. E entre tosse, espirros e afins, fechei o fim de semana com um sorrisinho de quem tava sendo cuidada e sabia que ia ficar boa logo. Aceitar que o corpo precisa de cuidados quando vivemos na correria é difícil, mas venho priorizando isso cada vez mais. Exercício diário.

Hoje, 23/07, estou começando minha segunda semana do clube.
Como passei o fim de semana cuidando dessa bendita gripe que resolveu me pegar de jeito, mudei o roteiro e comecei pelo day off. O que significa que a partir de amanhã é sem brincadeira: treino todo dia! Rá! #oremos
Sempre, é claro, com acompanhamento, incentivo e tomando nota dos perrengues para dividir com vocês. E agora peço licença, leitor, mas já está passando da minha hora de dormir. :P

Bonne nuit!
Eu ensaiei começar esse texto um bilhão de vezes nas últimas semanas.

Sabe, quando você tá lá no banho, pensando na vida? Escrevi um milhão de versões possíveis na minha cabeça mas nunca conseguia trazer as palavras para o teclado quando sentava com o note no colo. Até que entendi: estava precisando de tempo. Tempo para fazer outras coisas. 

Tempo para ler 3 livros ao mesmo tempo: um de manhã, um de tarde e outro à noitinha.
Tempo para ouvir um álbum inteiro que descobri graças a uma rádio aleatória no Spotify. 
Tempo para passar uma tarde inteira fazendo eu mesma mão e pé. 
Tempo para fazer meu brigadeiro e maratonar uma série que me fisgou no Netflix, ao invés de me contentar com um episódio por noite. 
Tempo para fazer 3 aulas seguidas na academia e ainda dar uma corridinha depois, feliz por ter tempo. 
Tempo para levantar da cama e vir pro sofá, de onde estou escrevendo esse texto finalmente, com o cobertor e o travesseiro a tiracolo. 

Todos precisamos de tempo. E trabalhando como trabalhamos, férias nunca são só férias pois há tanto pra compartilhar, contar, dividir. Que acaba não sendo realmente férias. Descanso. Paz. 

É paz. Mas é diferente. Consegue entender onde quero chegar, leitor? 

Na benção que é aceitar o ócio. E na raridade de termos esses momentos. 
E exatamente por serem tão raros, devemos apreciá-los ao máximo, não nos sentindo culpados por estar desconectados ou por não estar produzindo. 
Não produzir é arar o terreno. Não pensar é preparar a mente, para pensar melhor quando voltarmos.

Foi o que eu fiz nesse último mês. E sem aviso-prévio, pois no meu caso isso se deu quando cheguei no limite e não conseguia mais nem respirar. Foi quando me dei conta que depois de 9 anos, era a primeira vez que eu me desligava realmente de tudo: trabalho, carreira, estudos e blog. O tempo era só meu pra fazer o que eu quisesse. E acho que aproveitei bem - apesar de pensar que podia ter dormido um pouquinho mais, óbvio. :)


Hoje, 12 de Julho de 2018 - tô voltando. Renovada, inteira, em paz, feliz e muito motivada a escrever muitos posts por aqui. E a editar os vídeos que fiquei devendo da última viagem - não esqueci deles! 

Espero que estejam bem aí do outro lado da telinha. Que reflitam sobre tirar um tempo de qualidade pra si mesmos de vez em quando para não explodirem como eu. E que estejam com saudade: porque eu estou morrendo de saudade dessa nossa troca. <3 

Bom dia, bom recomeço pra gente. 
Acredito que, mais complexo do que escolher os looks, seja definir os produtos de beleza e maquiagens que levaremos em uma viagem. Eu explico: em casa, temos toooooda nossa penteadeira à disposição com aquela gama sortida de produtos que usamos de acordo com nosso costume e/ou necessidade. Mas, quando se trata de fazer uma necessaire de viagem, você meio que precisa prever suas necessidades e soluciona-las da maneira mais prática possível.

Bem, eu não sou lá muito econômica no quesito beleza mas, fiz um vídeo mostrando o que coloquei na necessaire que estou levando comigo para a Argentina. E também aproveitei o embalo e fiz uma make só com os produtos que guardei nela. Essa é uma ótima dica para saber se não está esquecendo de nada que possa vir a querer ;)

Dá o play!


Escrevi também uma listinha de "must-haves" para ajudar você a conferir tudo - e a facilitar na hora de montar a sua nécessaire também! ;) 

  • Protetor Solar
  • Base 
  • Corretivo
  • Blush
  • Pó Bronzeador e/ou contorno
  • Iluminador
  • Máscara de cílios
  • Paleta de sombras (ou sua sombra básica favorita)
  • Delineador e/ou lápis de olhos
  • Hidratante labial
  • Batom
  • Pincéis e/ou esponjas
  • Demaquilante
  • Algodão / cotonete
  • Água termal
  • Pinça
  • Escova e pasta de dente
  • Lixa de unha
  • Perfume
  • Creme hidratante para o rosto

Lembrando que eu sempre prezo pelo maior número de maquiagens e produtos sólidos possível pois não gosto de despachar produtos de beleza - sou dessas! Se você for desapegado, não precisa se preocupar mesmo com isso mas, se for de team beleza na mala de mão, fique atento! 

E não deixe de me contar qual seu principal item de beauté para viagens - tô curiosa para saber o que vocês não conseguiriam ficar sem! ;)
Oi mãe, tudo bom? 

No momento em que esse post entra no ar, nós entramos no avião rumo à nossa primeira viagem internacional juntas. Não sei se você sabe mas eu to tão orgulhosa e tão emocionada com isso. Você tá enfrentando seus medos e o desconhecido do tal de avião pra me acompanhar. E eu to tão feliz de poder te proporcionar férias depois de uma vida inteira de trabalho sem nem sequer pensar nessa palavra. 

Sabe mãe, acho que o bichinho da viagem vai te picar nessa nossa aventura. E vamos ainda conhecer muitos lugares juntas. E vou ainda te levar pra conhecer minha cidade no mundo, e você vai amá-la tanto quanto eu pois você sempre ama o que me faz bem. <3 

Mas antes de eu inundar o teclado com as lágrimas de emoção ao te ver despachando sua bagagem pra me acompanhar à França, vamos ali e acolá realizar os seus sonhos. 

A prioridade é sua mãe. Vem, vamos voar. O céu é nosso. Bon voyage pra nós. 



...

Ei, leitor! Você também sonha em levar alguém especial pra você em uma viagem? 
Minha mãe tem 75 anos e nunca voou. E nesse momento ela tá mudando esse status. 

Nunca é tarde. NUNCA. 

Fica ligado por aqui pois vou soltar alguns posts dando dicas para quem vai viajar com pessoas na melhor idade como eu. Se programe, não desista. Os sonhos daqueles que nos são caros, são tão importantes quanto os nossos. E merecem ser realizados! 

Com mais um feriado se aproximando, me peguei pesquisando destinos diferentes de Paris - só pra variar. E como nem todos os fins de semana são momentos propícios para viagens me peguei pensando sobre os títulos que vi recentemente e que me inspiraram a querer conhecer novos destinos de algum modo. Afinal, como já comentei algumas vezes por aqui, planejar e sonhar com uma viagem, pra mim, já é começar a viajar. E faz um bem danado - vocês deviam experimentar! ;) Conselhos à parte, a lista baixo é sobre 5 títulos que assisti recentemente no Netflix e que de algum modo, me inspiraram. Espero que algum deles possa inspirar vocês a ir para um lugar novo, se desafiar ou até mesmo arrancar um suspiro ou dois. :)

Ibiza: Tudo Pelo DJ
3 amigas muito loucas na Espanha, indo de Barcelona para Ibiza num bate e volta sensacional apenas para encontrar um DJ? Já amei! 
Confesso que teve um momento ou outro que o roteiro me deu preguiça mas, no todo, é inspirador ver como uma simples viagem de 3 dias pode mudar vidas. Vale o clique com pipoca! ;)


A Escalada
Falei desse filme nas redes sociais assim que terminei de vê-lo. E desde então não me saiu da cabeça. Foi com certeza um dos títulos mais emocionantes que eu vi nos últimos meses. Se trata de vencer limites e encontrar um propósito, um foco. 
Fiquei com vontade de conhecer o Everest? Com certeza! <3


Vinho de Verão
Quem trabalha com criatividade vai se identificar com a busca do personagem principal pela inspiração genuína. E também vai se compadecer dos perrengues em que ele se mete por ela. Na Espanha! Sim, Espanha, de novo. Acho que terei que voltar lá em breve, saudades castanholas! :P


Para Roma, com amor
Eu já tinha assistido esse filme umas duas vezes mas, minha mãe nunca tinha visto e queríamos um filme com cenas passadas em Roma. Foi uma escolha fácil e óbvia, sei disso. Mas vez ou outra filmes tranquilos e fáceis são tudo que a gente precisa. E eu aumentei ainda mais meu desejo de conhecer a Itália depois dessa terceira visita à Roma com Woody Allen. :) 


Amor por metro quadrado
Amei tanto essa produção do Netflix Índia que ela ganhou um post só dela aqui tempos atrás. :) O link tá aqui no título do filme, é só clicar. E vir comigo nessa vontade de conhecer mais esse caos atraente e exótico que deve ser Mumbai! 


Se alguém me dissesse, lá atrás, que com 30 anos eu faria um shooting (ensaio fotográfico) em Paris com um super fotógrafo e teria esse material comigo para guardar como recordação pro resto da vida - eu provavelmente não acreditaria. Não por que eu não gostasse de foto mas, por achar a ideia de ter alguém profissional me fotografando muito distante da minha realidade de criança do interior de São Paulo. Pois bem.... 

Mademoiselle Paris

Corta para 2017.
Eu, viciadíssima em fotos e vídeos que me tornei, hoje vejo essa paixão ser parte do meu trabalho. E mesmo assim, ao receber a confirmação da primeira sessão de fotos internacional (isso é chique demais gente!) da minha vida, senti um friozinho na barriga.

O fotógrafo que fez as fotos se chama Filipe Xavier, o @fotografoparis lá do insta, e eu me encontraria com ele para fazer esse ensaio que, pra mim, é ainda outra forma de registrar meu amor à cidade e a realização de sonhos.

O Filipe é um brasileiro que mora em Paris há cerca de 10 anos e tem como proposta contar histórias através das fotos, documentando dias felizes, sonhos realizados e momentos importantes na vida de seus clientes.

Mademoiselle Paris

Como a ideia é a de ter uma recordação atemporal de uma viagem inesquecível, desde o dia em que confirmamos nossas fotos comecei a pensar em como faria uma mala leve e que tivesse um número legal de looks para fotografar.

Logo de cara, pensei em usar e abusar de acessórios, que já são uma super dica para looks de inverno no geral. Chapéus, gorros, cachecóis e tiaras - bem como uma ou outra troca de tricot e casaco ajudaram a vencer esse desafio.

Levei um casaco pesado (azul) comigo no avião e outro, leve e muito quente (preto), na mala para Paris. Fora isso, escolhi duas peças de tricot que poderiam servir como camadas e também poderia estrelar - mudando a foto totalmente. Acho que o legal do inverno é bem isso: você tem o look fechado quando está na rua com casaco e um novo look ao tirar o casaco e os acessórios mais quentes. Acho que olhando as fotos, vai ficar ainda mais fácil de entender o que eu propus - vamos lá?

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

Quando falei com Filipe antes das fotos ele me disse que poderíamos ter uma troca de roupa, no café que iríamos fotografar. No mais, pela experiência dele, era legal abusar dos acessórios. 

E foi o que eu programei....

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

14h30
Começamos nossas fotos no Trocadéro e eu comecei exatamente com a roupa que fui encontrá-lo: térmica, suéter, saia de couro, meia-calça, casaco e tênis. Na cabeça minha boina P&B que sempre salva o dia e tem aquele caimento que beira a perfeição. Caiu uma super pancada de chuva bem no momento que nos encontramos mas, 30 minutos depois já começamos a fotografar em frente à minha adorada Tour Eiffel. Aqui já dá pra ver uma certa versatilidade - duas fotos diferentes apenas com a inserção do casaco. 

E então, troquei de boina...

Mademoiselle Paris

Seguimos descendo a praça em direção à torre e então, fiz mais uma mudança: troquei de casaco e de boina. Troca simples, que pode ser feita normalmente na rua. Mas que fez TODA a diferença nas fotos... aqui já temos o 3º look!

p.s.: juro que não estudei a paleta de cores do carrossel antes, a coincidência aí só pode ser sintonia de minha pessoa com o inverno e com a cidade... <3 

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

Eu fiquei encantada com absolutamente todas as fotos e looks mas, se eu precisasse escolher apenas um, teria sido esse que usei para fotografar junto do carrossel. Não me canso das cores, da aura e da magia presente nelas. E óbvio: provavelmente não teria ficado tão perfeito se eu tivesse tentado produzir algo casado com o cenário! 😂

Na sequência ao carrossel, seguimos para um mirante próximo ao Trocadéro e, lá, troquei a boina por um chapéu preto de veludo. Voilà!

Mademoiselle Paris

Para variar ainda mais, ali mesmo no mirante, fizemos algumas fotos sem o casaco e troquei o chapéu por uma tiara bem chamativa que dava outra vibe ao mesmo figurino.

Mademoiselle Paris

15h45
Saindo dali, fechei meu casaco preto no corpo para me aquecer e também aproveitei para me enrolar no cachecol e abusar de luvas. O dia estava mais gelado pós-chuva e eu ficava bastante parada para fazermos as fotos, o que é normal mas, me deixou um pouco com frio. Caminhamos então até um café delicioso na esquina da Rue Benjamin Franklin com a Rue Vineuse - se não me engano o nome do lugar era Le Franklin Brasserie. Pegamos uma mesa do lado de fora, pedimos nossos chocolates quentes e.... 

Mademoiselle Paris

Namore alguém que te olhe como eu olhava para esse chocolate....

Mademoiselle Paris

Lá no café mesmo, aproveitei para fazer minha única troca de roupa que precisava de banheiro. Troquei a saia e a camisa por um vestidinho preto que eu amo e que acho ser a cara da cidade. Troquei o tênis por sapatilha e troquei também o tricot verde por essa gola alta vermelha. A tiara era a mesma de corações que eu já estava usando nas fotos do café...

Mademoiselle Paris

16h30
Ao chegarmos na Pont de Bir-Hakeim eu me senti de fato entrando nas minhas pastas de inspiração do Pinterest: meu Deus, nem consigo acreditar que sou eu ali na foto. Mais um momento de coração quentinho e sonho realizado para a conta! 

Mademoiselle Paris

Acho que aqui vale falar também que, fazer fotos é uma arte que leva algum tempo. Você precisa estar ciente que vai ter que aproveitar os microssegundos em que não tem ninguém passando atrás de você e/ou que não tem veículos se aproximando. Eu não ligo pra isso, sei que é cansativo mas me divirto tanto no processo que não ligo mesmo de passar aquele tempo ali, construindo essas lembranças da melhor forma possível. :)

Para diferenciar novamente as fotos, tirei o casaco e a blusa de gola alta e coloquei minha boina vermelha, uma das aquisições dessa viagem... 

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

Ainda para mostrar como simples detalhes fazem a diferença, troquei apenas a cor da boina e.... 

Mademoiselle Paris

Na sequência fomos fazer umas fotos mais quentinhas (leia eu me encapotei de novo pois, não curtimos hipotermia! rs). Agora, coloquei o cachecol preto e branco que é bem mais quente e mudei para a boina preta que achei ter muito a vibe da Bir-Hakeim. Ali na ponte tem um recuo, como tem em várias outras pontes de Paris mas, nesse, a foto com a torre e o Sena fica de um angulo de chorar de tão lindo. E eu estava quase chorando com o pôr-do-sol atrás do Filipe e sua câmera nesse momento... ô sorte! 💖

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

Aqui já dá pra ver um pouco melhor o recuo e o céu ficando azul mais escuro, para combinar com meu casaco.... valeu Deus!

Mademoiselle Paris

Voltei para o casaco azul mas, dessa vez com o cachecol colorido jogado no pescoço e minha boina preta ajudando a dar aquele ar de look mais despojado: pronta para uma taça de vinho no fim do expediente essa francesinha.... 

Mademoiselle Paris
Mademoiselle Paris

Beijo para o pôr-do-sol que não consegui fotografar mas, que meus olhos vão sempre recordar.. 

Enquanto eu trocava de look pela derradeira vez ali ao lado de um dos pilares da ponte, o céu ficou de um tom inexplicável e deixou o contraste com a Torre, ainda mais lindo!

Mademoiselle Paris

17h30
Como a noite já seria uma realidade em questão de minutos, voltei para o meu tênis quentinho. Também voltei para o casaco preto que, apesar de mais leve que o azul é infinitamente mais quente. E me diverti com as peripécias do vento, tentando tirar ora minha boina, ora meu cachecol. 

Mademoiselle Paris

Um batonzinho faz uma diferença no look dia vs noite, né mores?

Mademoiselle Paris

Resumindo:
Foram mais ou menos 3 horas fotografando pelos arredores da torre, 12 looks no total, mais de uma centena de fotos e lembranças que vou levar por toda uma vida. Prova de que super dá pra viajar no inverno só com uma mala de mão e ter muitas fotos lindas - inclusive. Com esses looks + algumas calcinhas limpas e + duas ou três camisetas térmicas vocês passam 15 dias facilmente. Não é fácil logo de cara mas, é fácil. Acreditem, a chave de tudo é planejamento. E eu aprendi isso na marra, fazendo, pra conseguir realizar meus sonhos. E se eu conseguir ajudar um tiquinho que seja na realização do sonho de você, leitor, já ganhei meu dia. :) 

Quanto às fotos, não tenho palavras para descrever (ainda mais) o trabalho do Filipe. Amei. Mais um sonho que se realiza e vou poder mostrar pra meus netinhos quando estiver bem velhinha. Mas, por hora, compartilho com vocês. 

Acreditem no sonho. Se planejem. Pensem nos detalhes e troquem uma ideia com o Filipe (é @fotografoparis lá no insta!) para terem as memórias de vocês registradas ad eternum. Muito mais legal que um souvenir qualquer de lojinha (apesar de eu também amar essas coisas *risos).


- À très bientôt @fotografoparis, faremos novas lindezas dessas bem em breve! 😍