Não é o primeiro ano que o Spotify faz uma seleção e nos presenteia com uma super seleção das nossas músicas mais ouvidas. E esse ano eu fiquei tão apaixonada com a minha seleção que resolvi compartilhar aqui a playlist completa. 
E também decidi comentar as histórias que me vem à cabeça com as 5 primeiras (só as 5 pois nenhum de vocês vai ter saco ide ouvir 100 histórias hoje - imagino). 😅


1) Perfect Duet (Ed Sheeran & Beyoncé)
Eu dou até um suspiro só de lembrar dessa música. A primeira vez que eu a ouvi foi em Paris no, no finalzinho do ano passado. E foi com ela que eu praticamente iniciei o ano de 2018 pois foi vício desde o primeiro acorde.

2) Sous le ciel de Paris (Zaz feat Pablo Alborán)
Quando ouvi essa parceria da Zaz com Pablo, misturando francês e espanhol e dando um shape novo para uma das minhas músicas francesas favoritas eu surtei. Ficou no repeat e entrou pra minha lista de Paris pois, é das maiores alegrias caminhar por lá com ela no meu fone, de trilha sonora. Recomendo! 

3) Clandestino
Sendo o show mais esperado do meu ano de 2018, não é de se estranhar que o hit mais recente da musa Shakira esteja em meu top 5 né? Aliás as minhas 5 mais ouvidas do ano foram dela - veja bem... ;)

4) A Million Dreams 
Tava faltando um representante musical, doce e que fizesse a imaginação voar, não estava? Pois essa música vai e vem da minha cabeça nos momentos mais inusitados. E eu viciei nela demais, demais! 

5) Mia & Seastian's Theme
La La Land é doçura pura e essa trilha com certeza entrou para o hall de trilhas que quero dar um jeito de ter no meu casamento - um dia! *risos 
E você, gostou da sua seleção de músicas do ano? Conta pra mim quais as suas 5 primeiras da lista aqui nos comentários e vamos trocar ideias e inspirações musicais. :) E se você ainda não fez sua retrospectiva, clica aqui e faz agora mesmo! 
Muita gente ainda acha que fazer turismo no inverno é ficar nos programas "in door". Eu discordo.


Em Paris, bem como em outros lugares da França e da Europa, o inverno pode ser bem ensolarado, iluminado. Um céu azul lindíssimo - que porém, não garante menos frio mas, garante sim um cenário incrível e otimista para passeios ao ar livre.

Pensando nisso, fui atrás de dicas de terraços na cidade luz para visitar. Tome nota!

- La Terrasse - Galeries Lafayette
Foi onde tirei a foto de capa desse post e também o primeiro rooftop que conheci na cidade luz. Eu nem sabia direito muito bem o que esperar de lá mas, aproveitei que tinha ido conhecer a loja para subir até o Terraço. Você pode fazer uma reserva no bar/café que tem por lá e ficar dentro de iglus transparentes, protegido do vento e brindando o por-do-sol. Ou pode só encostar na marquise como eu, e chorar com a beleza da vista. ❤

- Terrasse du BHV
A BHV é outra loja lindíssima, localizada pertinho da prefeitura de Paris e da Île-de-la-Cité. A vista é sensacional, o lugar é um puro charme. E eu não consigo entender por qual motivo os guias não comentam desse lugarzinho de Deus.

- Centre Pompidou
Eu confesso que demorei muito para conhecer o Pompidou. Sempre acabava passando outra atração na frente e tinha recebido fortes indicações de reservar um dia inteiro para ele - o que, graças aos céus, eu obedeci. O museu todo é lindo, cheio de alas novas e antigas por todos os lados. Mas o que realmente me fez cair de amores pelo lugar foi a arquitetura de canos e tubos aparentes e coloridos, as escadas infinitas ao lado de um paredão de vidro que vão te levando para os andares mais altos enquanto você aprecia a cidade indo ficando menor. No terraço há um restaurante - lindo e meio caro - que estava fechado para reformas quando fui mas, que já voltou a funcionar normalmente. Porém você pode ficar em um corredor fechado observando a vista pelo vidro, que não deixa de ser algo que faça suspirar.

- Arco do Triunfo
Cada degrau de pedra vale a pena quando você chega ao seu topo e vê a Champs-Elysées do alto. E se for na época do natal ainda, que tem o Plus da decoração de luzes, fica ainda mais mágico.


- L'Oiseau Blanc, no Península
O terraço do Península Hotel é uma opção romântica e glamurosa se você quiser algo chique para seu passeio. O lounge é todo pensado pelo tema da aviação (inclusive tem um avião real oficial no seu interior). Mas vale a nota: um menu completo por lá não sai por menos que 150 eurinhos. 💔

Esses são apenas alguns dos inúmeros lugares com vista na cidade-luz. Você tem um favorito que não apareceu nessa lista? Comenta aqui pra mim! :)

Olá leitor! Bom dia nublado pra você. 
Sim, por aqui o dia amanheceu com previsão de 14ºC e meio estranho.
Confesso que estou ainda confusa com o clima brasileiro nesse início de dezembro.
E como por aqui a saúde anda meio frágil por conta da TPM e da adaptação que sempre rola quando as temperaturas começam a subir - bem, hoje não seria um exemplo mas, você me entendeu né -, estou achando que vem um resfriado por aí. Fiquei lembrando que nessa mesma época no ano passado, passei pelo mesmo problema e como não consegui me livrar 100% dos sintomas antes de viajar, lutei bravamente com a gripe durante o ano novo em Paris e suas baixas (e úmidas) temperaturas. Então, pensei: por que não compartilhar dicas de como não gripar no inverno para aqueles que estão prestes a embarcar para esse lugar mágico? (ou qualquer outro, que tenha um inverno similar - obviamente).

Preciso começar falando que prestar atenção no seu corpo e em como ele reage às coisas e às situações é uma ótima maneira de começar. Eu, por exemplo, sei que tenho enxaqueca se não me alimentar bem de manhã e à noite e também sei que tendo a me sentir mais confortável e com menos frio se meus pés e pescoço estiverem bem aquecidos. E você? Já parou para fazer esse tipo de exercício? Garanto que pode ajudar em sua incursão no inverno. ;) 

Mas vamos lá: manter-se saudável em viagens durante o inverno requer muito mais que saber respeitar suas necessidades de calor e comida. Anote: 

1- Hidrate-se
No inverno, principalmente, as pessoas tendem a beber uma quantidade menor de água por conta do frio. E você precisa lutar contra isso pois a água em seu corpo ajuda os seus órgãos a funcionar melhor, cuida da sua pele e ainda garante uma ajuda extra para enfrentar o seu voo de ida e de volta. Leve sempre uma garrafinha com você e crie o hábito e ir tomando pequenas porções de água ao longo do dia. Você verá com clareza a diferença no seu corpo. 

- Respeite seu sono 
O corpo que não consegue a quantidade de sono necessária para se recuperar após o turismo fica debilitado e mais propenso à viroses e afins. O ideal é matar o jet lag logo no primeiro dia de viagem, entrando assim no ritmo e horário do lugar - o que vai fazer com que você aproveite melhor sua viagem e ainda se mantenha bem por toda sua duração. 
Outra dica é: se seu voo chegar pela manhã no destino, mantenha-se acordado e vá dormir no início da noite, se permitindo uma longa noite de descanso. Se seu voo chegar à noite, crie um clima relax ao chegar no hotel para que a ansiedade de iniciar a viagem não te iniba de ter uma excelente noite de sono. 

- Mantenha uma rotina de alimentação 
Aqui não vou falar de dieta - afinal, você está de férias e curtindo! Mas é muito importante garantir alguma regra nos horários de se alimentar pois, se você for como eu, pode se empolgar demais com passeios e atrações e deixar de se alimentar direito - ferrando com a sua imunidade logo de cara! 

- Álcool gel e lencinhos para mãos e corpo
Pode parecer toc para alguns mas, aprendi nesses últimos anos de viagem que ser um pouco germofóbico ajuda a se proteger - e muito - no inverno. Leve com você um daqueles potinhos de álcool gel para mãos, assim você pode garantir que estará com as mãos super limpinhas para comer aquele crepe à beira do Sena, por exemplo. Só esse item já te previne de tantos vírus que nem sei... ;)

- Se exercite
Essa é pra vida, e não apenas para viagens. Mas vale lembrar que se você se exercita com frequência o seu sistema imunológico fica mais forte, acompanhando o desenvolvimento do seu corpo. Isso ajuda não só a previnir doenças como a ter uma recuperação mais rápida caso a gripe pegue você! Caminhe, dance, corra! Encontre uma atividade prazeirosa e se jogue. O importante é se divertir cada vez mais nessa vida! 

E uma dica extra que particularmente funciona demais para mim no inverno é: mantenha-se aquecido mas evite suar. Ou seja, não saia com tanta roupa que te sufoque caso você decida ir a pé. Suor no frio é um veneno, como diria mamãe. Pois a soma de vento gelado e chuva com suor no seu corpo é gripe na certa. Euzinha sempre prefiro manter o corpo aquecido com cafés (meu vício que se potencializa fortemente nessa estação) e também entrando em locais fechados que contém calefação de tempos em tempos. 

E você, tem dicas? Compartilha aqui nos comentários comigo! :)

Há tempos eu andava sonhando voltar para o curto. E, verdade seja dita, eu demoro um tempo considerável para criar coragem de ir cortar o cabelo - seja esse um corte básico, só pra acertar as pontas, seja um corte radical, como foi esse último. Antes eu achava que fazia isso para poder ir em profissionais melhores, então, esperava juntar a grana pra ir cortar. Acho que olhando friamente para isso hoje, vejo que tem muito da preguiça e muito da acomodação com a imagem no espelho envolvidos. Você, leitor, também tem dificuldade com mudanças assim? 

O incerto me assusta só de pensar. 

Mas juntei minha coragem com um pouco de saco cheio do visual de cabelão e uma pitada de solidariedade (pois decidi que além de mudar o visual, queria doar o cabelo que cortasse) e fui lá visitar o Edu, no Retrô Hair aqui de São Paulo.

Na espera, me peguei olhando minha pastinha de inspirações de cabelo no Pinterest - aliás, vocês já estão comigo por lá? Bora trocar ideias e inspirações juntos! : )


Depois de mostrar algumas inspirações para meu uso, Edu, do Retrô Hair aqui de SP, ele tomou as rédeas da situação e eu relaxei - o quanto pude -, aguardando pela mudança.
Antes de mais nada, nós batemos o martelo: vamos doar o cabelo cortado. Então, fizemos uma super hidratação antes de qualquer outra ação. Vou falar pra vocês que sou apaixonada pelo lavatório do Retrô por ele ter as "cadeiras" quase que em forma de espreguiçadeiras: o que diminui muito o incômodo que eu mega sinto no pescoço em outros lugares. Lá eu deito e realmente relaxo enquanto lavamos os cabelos ( e eu já falei aqui que eu poderia lavar o cabelo no salão toda semana, se dinheiro pra isso eu tivesse *rs ).
Na sequência, sentei na cadeira do Edu e entreguei a transformação que eu queria nas mãos dele - dá o play:


Cortar um tanto assim de cabelo de uma vez só foi assustador e libertador. Impactante e emocionante. Definitivo. :) Dali pra frente, repicamos, desfiamos, passamos até navalha para finalizar o corte de um jeito leve e delicado, que favorecesse meu tipo de rosto e meu estilo. Eu posso dizer que, após um mês da mudança, sigo muito feliz com a mudança. E sigo testando finalizações, penteados e produtos novos - louca pra contar se vocês quiserem, inclusive!


Já tem esse cabelo curtinho há mais tempo? 
Me manda dicas aqui que eu tô na fase de descobertas ainda! :)