Todas as vezes que fui ao Rio, tinha trabalho envolvido. Coisa maluca, uma paulista ir pra cidade maravilhosa e não conseguir nem pisar na areia, ou ver o Cristo Redentor.
Sempre me passava pela cabeça...


Então não é surpresa se eu contar aqui nesse diário de viagem que fiquei extremamente empolgada quando em uma tarde tranquila de domingo, eu e duas amigas resolvemos comprar um pacote de viagem para o Rio de Janeiro para passar maravilhosos 4 dias de sossego e muita praia. 

Confesso, ainda não fui ao Cristo Redentor - acho que minha sina com o Rio é essa, inclusive -, mas já posso dizer que até que conheço pontos bem legais da cidade, o suficiente pra ter um carinho pra lá de especial por ela. Mas vamos ao que interessa: a viagem dessa vez de feriado delicinha em calçadões cariocaix (escrito com a pronúncia local que lindamente acrescenta o 'x' a tudo e me deixa com vontade de falar assim pro resto da vida). 

A melhor coisa de aproveitar um feriado regional pra viajar é evitar muvuca no aeroporto e pegar a cidade no dia a dia normal - o que em alguns casos, como no caso de uma cidade de praia, facilita a curtição numa vibe relax. 

Nosso hotel ficava na Barra da Tijuca - o que nós amamos, já aviso. Eu já achava a Barra um lugar lindo mas, depois dessa mini-temporada eu garrei amor. Ô lugar lindo, Deus! Mais do que recomendo pra ser sua base no Rio, mesmo sendo distante dos pontos turísticos tradicionais e tal. 

Chegamos na quinta-feira de manhã bem cedo, tão cedo que resolvemos já no próprio Galeão parar pra tomar um café no meu amado Starbucks e dar aquele tempinho pra passar o grosso do trânsito causado pela ponte-aérea e também pelo início de dia útil na cidade. 


Feito isso, fomos até o embarque para conseguir nosso Uber até o hotel - e acabamos pedindo um 99táxis que estava bem mais barato. Coisas da vida! Primeira dica então: pesquise em todos os aplicativos que você tiver pois o preço anda muito variável e você pode economizar um bom dinheiro nessa brincadeira. Nós, economizamos 30 reais assim! ;) 

Chegando ao hotel, conseguimos um early check-in: já contei para vocês que eu sou fã de early check-in? Coisa mais linda poder guardar logo as malas, trocar de roupa e curtir a cidade! <3 

Tivemos um probleminha só, na chegada. Como fechamos nossa viagem pelo Decolar, nossa reserva apontava para Gran Nobile Hotel Barra da Tijuca. Ao chegar e muito procurar, descobrimos que ele se transformou em Wyndham Hotel Barra. Mesmo endereço, lugar lindo, 5 estrelas. Tudo certinho. Tudo conforme havíamos contratado. Menos o nome. Frustrante pois levamos um susto mas, passou.

Nosso quarto tinha uma vista espetacular da Praia da Barra e ficava super bem localizado, de frente ao posto 4. Fizemos muitos passeios por ali a pé - inclusive. Eu amo isso, vocês sabem disso!


No primeiro dia caminhamos pelo calçadão, tomamos uma deliciosa e gelada água de coco (não pode faltar nesse verãozão de meu Deus), estendemos a canga na areia um pouco e andamos mais um bocado. Depois, voltamos para o hotel para uma rápida ducha e mudança de look para poder ver o pôr do sol e encontrar um barzinho para curtir a noite e jantar.


Escolhemos jantar no Banana Jack, lugar que foi super bem recomendado para nós por amigos e que fica na rua badalada da Barra da Tijuca: a Olegário. Por lá tem uns quarteirões bem movimentados com barzinhos para todos os gostos (e bolsos).
No dia em que fomos pegamos uma promoção de drinks sensacional: pede 1 leva 2. Fantástico!
Outro ponto muito legal foi o rodízio de comida que meio que funciona como um menu degustação dos pratos da casa (que nesse pedido vem todos em tamanho mini para você conseguir provar - porém você pode repetir o que quiser e quantas vezes quiser). Bem bom, recomendo fortemente a costela deles. Ah! Eles também tem um chopp de banana, meio famosinho. Eu provei mas, confesso que não curti muito. Já as meninas, amaram. Fica a dica pra experimentar ;)


A sexta amanheceu nublada, conforme havia nos adiantado a previsão do tempo. Então dormimos até um pouco mais tarde, tomamos um café da manhã preguiçoso no hotel e fomos passar a manhã na piscina. E que piscina, Wyndham! Fiquei apaixonada por esse espaço do nosso hotel - vale demais visitar (e pedir uma piña colada bem docinha para acompanhar).


Perto de 2 / 3 da tarde fomos caminhar no calçadão e paramos para almoçar em um lugar que também haviam nos recomendado fortemente: o K08 Kate Surfe Club. Um dos quiosques mais lindos que já vi - dá pra reservar um espaço com eles inclusive e passar o dia. E já está na minha lista de desejos para um breve retorno - me aguardem!

Quando a chuva pegou forte, fomos dar umas voltas e nos proteger no Barra Shopping (confesso que tava precisando de um mocha quentinho depois de me molhar e ficar 1 hora no carro com ar condicionado). Como não parava de chover, acabamos não conseguindo "cumprir a agenda" daquela sexta, que contava com uma baladinha no jockey do RJ. Fiquei triste? Fiquei. Mas conseguimos ir para um barzinho da Olegário no fim das contas, quando a chuva deu uma trégua e nos esbaldamos em Serramaltes e tábua de carnes. Foi bem bom, lugar legal, comida boa e gente bonita. Seu bar, o nome. Anotem essa dica. ;)


 O sábado amanheceu lindo e colocamos em prática nosso plano de passar o dia na zona sul do Rio. O roteiro foi basicamente: café no hotel, táxi da Barra até a Lagoa, água de coco mais volta na Lagoa com direito à fotos (lógico!) e depois praia no Leblon. Aqui preciso deixar registrada uma super recomendação: a barraca do Luciano, no posto 11: melhor atendimento do Rio de Janeiro. Vale muito a pena alugar cadeiras, guarda-sol e consumir com os caras. MESMO! E isso não é publi, nós pagamos por todo o serviço. ;)

Lá pelas 17h30 nós iniciamos a caminhada até o arpoador pra assistir o sol se pôr de lá. No caminho teve: chuva, muvuca, arco-íris, areia incomodando, frio, calor... teve de um tudo. Mas chegamos na pedra e subimos para ver o pôr do sol. E olha, que pôr do sol! <3


À noite caminhamos até a estátua do Carlos Drummond de Andrade para um momento turista e também para dar aquele salve para minha amada Copacabana. E foi por lá que decidimos parar na Pizza Hut e ter um jantar paulixta universal: pizza com muito queijo envolvido!

Queríamos ter ido para alguma baladinha? Queríamos. Mas nossos ossos doíam e após essa orgia da pizza, fomos para o hotel tomar banho quentinho e já deixar as malas prontas para curtir até o último segundo a manhã do domingo - que seria nosso último dia da viagem.

Acordamos, nos aprontamos e fechamos a mala. Descemos para o café e já corremos para a praia em frente ao hotel para curtir aquela manhã fabulosa de sol e céu azul. Levei até meu livrinho pra relaxar um pouco, ouvindo o delicioso barulho das ondas de fundo.
Curtimos o mar, nos despedimos do mar. Até logo, disse eu. Não quero mais ficar tanto tempo longe, pensei. E esse pensamento mais parecia uma oração.

Para finalizar nossa viagem, fomos tomar uma última piña colada na piscina do hotel para brindar um fim de semana mais que delicioso. Recomendo e estou anotando aqui, pra mim mesma, que ter momentos assim são essenciais. Não precisa ir longe para renovar as energias. Só precisa ir.

- Valeu Rio, daqui 10 dias estou de volta pra matar a saudade que já está me matando. Me espera.. <3


Fui novamente atrás de achados de liquidação essa semana. Desta vez, a loja-alvo foi a Renner ali da Avenida Paulista, uma das lojas de fácil acesso mais legais da rede, na minha opinião. 
A loja está dividida entre liquidação e novas peças e achei a organização bem feita - apesar de algumas peças da liquidação estarem sem etiqueta promocional, vale ficar de olho! 


Um ponto sobre a liquidação da Renner: tem muitos extremos - muito tamanho P e PP e muito GG também. Fica a dica pra quem se encaixa nesses tamanhos pois, tem muita opção boa neles. :)
A área de melhor performance pra todos, na minha opinião, é a de acessórios. Quantas bolsas remarcadas por preços ótimos: eu fiquei em choque! E trouxe um bebê novo pra casa. Dá o play pra conferir!


Qual seu maior achado de liquidação? Conta pra mim! :)

Já faz um bom tempo que correr se tornou uma diversão, uma terapia e um ato de amor de mim por mim mesma. Eu sempre fui muito ativa e depois que passei da rotina dos palcos para a rotina de escritório passei por diversas fases muito difíceis na adaptação dessa rotina nova e mais "parada". Em busca do famoso e tão comentado equilíbrio, já fiz inúmeras atividades e corrida nunca foi a preferida. Até eu me desafiar a fazer o 5am challenge: onde você se condiciona a uma rotina matinal por pelo menos um mês para entender como pode fazer bem estar acordado em um horário que tantos ainda dormem. 

Posso contar mais sobre essa experiência em outro post mas, já adianto: foi nessa fase de chegar às 6 da manhã na academia que meu amor pela corrida criou raízes. Eu podia sentir todo meu corpo acordando e se energizando a cada passada e aquilo foi me dando muita vontade de fazer um pouquinho mais sempre que possível. 

Foi aí que comecei a pesquisar músicas que me ajudassem a manter a motivação, o ritmo e, acima de tudo: que ajudassem meu astral a ficar positivo desde cedo. O legal da corrida com música pra mim é exatamente isso: uma forma de limpeza da mente, de todo o stress do dia a dia, um momento só seu onde seu único pensamento é a próxima estrofe e o próximo quilômetro percorrido. 

Já passeei por um monte de playlists de corrida e até já pensei em montar uma minha com as preferidas (ainda quero fazer isso, compartilho quando fizer!). Hoje trago aqui as minhas 3 preferidas, que sempre voltam ao topo da lista do meu spotify no fim das contas. Espero que elas animem vocês tanto quanto me animem! :)

- Músicas para voar na corrida
Com clássicos do pop e versões super animadas de grandes sucessos, é apertar o play nessa playlist para já sentir uma mudança de clima no meu humor. Santa música!


- Rock para correr
Criada pelo perfil da Maratona do Rio, essa playlist é ótima para colocar os demônios todos para fora - se é que você aí do outro lado da tela me entende.


- Rock me UP! 
Olha o bendito do rock aqui de novo! Que posso fazer se ele é um ótimo estilo para suar todas as negatividades? Essa playlist já me rendeu histórias hilárias como começar a cantar em voz alta a playlist e alguém do lado cantar junto e fazer migos matinais, por exemplo. : P



O verão chegou com tudo e com ele vieram novas tendências e desejos para a galera antenada em moda pirar. Eu achei que não seria pega por nenhuma tendência esse ano até me ver enlouquecida por uma bolsa de palha, em meados de novembro do ano passado. E eu não percebi que os estímulos visuais que eu recebia já haviam me pego de jeito. Tanto, que eu me dei uma bolsinha de palha de presente de aniversário - que inclusive já se pagou de tanto que eu a usei e ainda planejo usar.
Gosto assim!


Mas vou dizer que escolher uma não é tarefa fácil quando o mercado investe em tantas opções lindas como nesse ano. Eu fiz uma seleção de bolsas que fui encontrando na internet e que podem te ajudar aí na hora de escolher a sua. :)


Outra coisa que fiz pra dar uma acalmada na compulsão de comprar todas as bolsas de palha que eu via por aí, foi criar uma pasta de inspirações no Pinterest. Ela me ajuda a ver a imensidão de estilos e modelos e também a guardar ideias para o futuro, pois a gente não usa só por ser tendência. A gente usa por amor mesmo! ;)


Aproveita pra seguir por lá o perfil aqui do blog! Sempre pintam novas inspirações, pastas e dicas.

Eu não sei você, leitor. Mas eu AMO / SOU uma boa liquidação. Adoro fuxicar as araras e descobrir o que está por lá e por qual desconto. E como a Zara no Brasil tem se tornado cada ano mais cara, é uma das lojas que eu mais anseio pela chegada da liquidação, quando eu realmente penso em comprar algo por lá. #prontofalei

E foi num momento inspirado no provador que surgiu a ideia de filmar minhas escolhas e compartilhar com vocês. Espero que curtam. :)


O lance sobre liquidações que me entristece é que, muitas vezes, as peças que chegam nela já chegam em estado de miséria. A minha impressão é que a galera não tem cuidado ao experimentar as peças, principalmente na época de natal e pré-férias. O que faz com que os achados de janeiro sempre contenham peças manchadas, com botões capengas e costuras esgarçadas. Se não serviu, por que não pegar um maior ao invés de tentar vestir a todo custo? Está com maquiagem? Por que não tomar mais cuidado ao colocar e tirar camisas e vestidos? Enfim... deixei de levar várias peças por encontrar defeitos assim que notavelmente são de manuseio então, fica a reflexão.

Boas compras pra todos nós! :)

Feliz 2019! :)

Estava curtindo uma maratona de Netflix e leituras sem fim na primeira semana do ano mas, o canal voltou com tudo! Logo na virada, entrou a make que usei para brindar 2019 e que agora compartilho aqui pra vocês com a lista dos produtos e tudo mais.

Espero que curtam e bóra começar mais um ano por aqui!



Lista de produtos da maquiagem por ordem de aparição:

- Revitalift Blur Mágico, de L'oréal Paris
- Lip Balm Rêve de Miel, de Nuxe
- Mist & Fix, de Make Up 4 Ever
- Teint Miracle, de Lancôme
- Duo Concealer, da MAC
- Warmth, de bareMinerals
- Paleta 9 Shades, de Océane
- Paleta Pure Color Envy, de Esteé Lauder
- Brighten Up!, de Essence
- Mosaic Blush, de Essence
- Light Up My Face, de Océane
- Contour Kit, de Océane
- Pigmento nº 08, da Vult
- Máscara BadGal Bang!, de Benefit
- Batom Cruella, de Nars
- Batom 54, de Nars
- Dual Finish, de Lancôme
- Eyebrow Designer, de Essence

Fazer 31 anos não é algo que alguém espere com contagem regressiva nem coisa assim. Não tem significado especial na astrologia, não tem nenhuma mística, muito menos tradição. 31 é diferente de 21 - quando você atinge a maioridade total seja aqui ou em outro canto do mundo. 31 é só... bem, 31.
Mas, não foi só mais um aniversário pra mim.


Fazer aniversário em dezembro me traz uma dose dupla de reflexão sobre a vida. Sobre o ano, sobre atitudes, pessoas, sonhos e metas. Sobre quem fica e quem é melhor deixar partir. Nesse início de 31 eu preciso acima de tudo agradecer pois, não foi um ano fácil. Foi ano de faxinar toda a bagunça que o fim de uma década trouxe. Foi quando chegou "ajuda" para reerguer o que a tempestade havia derrubado. Foram dias de reconstruir. E chega a ser um pouco frustrante pois, nesse ritmo desacelerado de reconstrução, uma sagitariana como eu pode pensar que está perdendo tempo de viver a vida lá fora. Mas bastou colocar a mão no coração para agradecer também por isso. Pois mesmo tendo que diminuir o ritmo, não parei.
Os 31 chegaram inesperadamente doces. E eu os recebi de braços abertos. Afinal, temos 365 dias à frente pra provar que eles vieram pra fazer a diferença na história dessa minha nada mole vida. :)

O vídeo abaixo não foi roteirizado, muito menos pensado. São fragmentos de memórias que resolvi colocar em vídeo pra não esquecer de um dos meus mais felizes aniversários. 



Obrigada aos envolvidos direta e indiretamente. <3