Aquele com 31 velinhas...

2 Comments
Fazer 31 anos não é algo que alguém espere com contagem regressiva nem coisa assim. Não tem significado especial na astrologia, não tem nenhuma mística, muito menos tradição. 31 é diferente de 21 - quando você atinge a maioridade total seja aqui ou em outro canto do mundo. 31 é só... bem, 31.
Mas, não foi só mais um aniversário pra mim.


Fazer aniversário em dezembro me traz uma dose dupla de reflexão sobre a vida. Sobre o ano, sobre atitudes, pessoas, sonhos e metas. Sobre quem fica e quem é melhor deixar partir. Nesse início de 31 eu preciso acima de tudo agradecer pois, não foi um ano fácil. Foi ano de faxinar toda a bagunça que o fim de uma década trouxe. Foi quando chegou "ajuda" para reerguer o que a tempestade havia derrubado. Foram dias de reconstruir. E chega a ser um pouco frustrante pois, nesse ritmo desacelerado de reconstrução, uma sagitariana como eu pode pensar que está perdendo tempo de viver a vida lá fora. Mas bastou colocar a mão no coração para agradecer também por isso. Pois mesmo tendo que diminuir o ritmo, não parei.
Os 31 chegaram inesperadamente doces. E eu os recebi de braços abertos. Afinal, temos 365 dias à frente pra provar que eles vieram pra fazer a diferença na história dessa minha nada mole vida. :)

O vídeo abaixo não foi roteirizado, muito menos pensado. São fragmentos de memórias que resolvi colocar em vídeo pra não esquecer de um dos meus mais felizes aniversários. 



Obrigada aos envolvidos direta e indiretamente. <3 


Leia também

2 comentários:

  1. Oi Camilla

    Parabéns, que esse novo ciclo seja de constantes transformações!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fernanda! <3

      Beijos e ótimo 2019 pra gente!

      Excluir